18 de ago. de 2020

8 castelos imperdíveis para conhecer na região do Alentejo, em Portugal

O Alentejo, maior região de Portugal, é famoso por seus vinhos, belas paisagens naturais com campos verdejantes e extensos vinhedos, e por seus vilarejos encantadores, que mais parecem saídos de contos de fadas. Além disso, por todo o território alentejano é possível encontrar construções cheias de histórias para contar. Há igrejas antigas, conventos centenários, castelos medievais e muito mais. Eu não vejo a hora de organizar uma viagem para lá, mas enquanto isso não acontece já deixo aqui algumas dicas do que ando descobrindo daquela área.

Se você como eu, ama visitar castelos, saiba que no Alentejo é possível fazer um roteiro focado nisso! Confira abaixo uma lista com oito castelos imperdíveis!

8 castelos imperdíveis para conhecer na região do Alentejo, em Portugal

Arraiolos

Este é um dos poucos castelos no mundo com uma arquitetura circular e, por isso, vale muito a pena conhecer. Situado a apenas 20 minutos de Évora, principal destino alentejano, fica no topo do Monte de São Pedro, rodeado por uma muralha em forma de elipse. Além de visitar o castelo, é possível apreciar uma bela visão de 360º dos campos alentejanos.

Beja
Localizado mais ao sul da região, seu destaque é a torre que conta com 40 metros de altura. Mais que o tamanho e a imponência, no entanto, essa parte do castelo tem também uma beleza ímpar. O viajante pode subir seus 200 degraus para conferir uma vista de tirar o fôlego. A torre é composta por três salas, que contam com elementos de inspiração muçulmana, romana medieval e manuelina.

Elvas
Este castelo é considerado Patrimônio Mundial da UNESCO juntamente às demais construções históricas de Elvas. Ele é um dos melhores exemplares da arquitetura militar portuguesa. A própria cidade foi desenvolvida como uma verdadeira fortaleza, devido à sua proximidade com a Espanha. Além do castelo, os turistas podem explorar diversos fortes e fortins da cidade.

Estremoz
Atualmente, no Castelo de Estremoz, funciona uma pousada. Mas ainda é possível conhecê-lo. Seu destaque é a espetacular Torre das Três Coroas, com 27 metros de altura e feita de mármore branco. Ao lado do castelo fica uma estátua em homenagem à Rainha Santa Isabel, conhecida pelo milagre de haver transformado moedas em rosas no século 14.

Evoramonte
Para quem gosta de construções diferentes, o Castelo de Evoramonte é perfeito. Formado por quatro torreões arredondados, ele conta com três pisos nobres no estilo do Renascimento Italiano, e suas salas monumentais têm abóbadas góticas impressionantes.

Marvão
A poucos quilômetros de Castelo de Vide, o Castelo de Marvão fica no ponto mais alto da Serra de São Mamede, a 843 metros de altitude, esbanjando uma vista e tanto. Do topo de sua torre, em um dia claro, é possível ver até mesmo a Espanha! Ele também impressiona por seu excelente estado de conservação e extensas muralhas.

Monsaraz
Este é um dos típicos vilarejos cheios de charme do Alentejo e seu castelo tornou-se um ponto turístico bastante popular na região. Isso porque, ao subir na construção, o visitante pode ver o grandioso Alqueva, que nada mais é que o maior lago artificial da Europa. Ao pôr do sol, a paisagem fica ainda mais impressionante.

Montemor-o-Novo
Esta vila conta com um fascinante castelo que foi construído sobre as ruínas de uma fortificação muçulmana. Embora seu estado atual não se compare à sua antiga glória, sua importância histórica permanece: ele sobreviveu ao terremoto de 1755 e às invasões francesas, além de ser palco dos últimos preparativos para a travessia marítima de Vasco da Gama para a Índia. 

Para mais informações sobre o Alentejo visite www.turismodoalentejo.com.br



10 de jul. de 2020

Teu saber tem quantos dialetos?


"Seu conhecimento acadêmico chega na periferia?"








Com a foto desta frase pichada no muro, minha bolha acadêmica das Ciências Sociais pirava em debates no mural do Facebook. Por um tempo não me meti na discussão, pois como educadora e cientista social, me faço esta pergunta sempre. Porque é necessário sempre fazê-la
Teve gente que militava consciente no lugar de fala que possui. Outros se perdiam no discurso querendo assumir posturas que não lhes pertencem num movimento de cosplay periférico. E haviam aqueles que juraram com punho em riste que levar saberes acadêmicos para as periferias não seria de muita valia visto que muitos termos seriam incompreendidos. Sério isso, brother? Mas que língua você fala?

Com este espaço de fala que possuo e que, nos últimos posts foi lindamente ocupado por potentes existências de nossos tempos, decidi aqui trazer o que penso disso. E estas reflexões só foram possíveis a partir de algumas vivências que tive. Mais do que isso: De alguns muitos encontros que me permiti e a mim foram permitidos.

Em primeiro lugar, gostaria de trazer a questão do acadêmico colonizador. Diante da possibilidade do acesso aos estudos, é muito fácil cairmos neste lugar de missionários do Saber. Pode ser por boas intenções, por ego ou pelo preciosismo de nos demarcarmos neste lugar entendendo que aquilo que os livros nos deram é o único saber possível e verdadeiro. Agindo assim, estamos mesmo neste movimento de troca que a educação nos permite e nos nutre?

Para além disso, pensarmos que este saber que carregamos não seria assimilado por outros centros de protagonismo é fazermos um pensar de mundo muito fechado, nos trancando nele e em tudo aquilo que combatemos. Não só devemos combater a concentração de riquezas, mas também a de saberes. Se não nos dispusermos a pensarmos como nos comunicarmos com toda a ferramenta que possuímos e como nos abrir para entender que o Saber se encontra de várias formas e em muitas culturas, não estamos fazendo nada além de girarmos a roda da manutenção de uma engrenagem que combatemos.

Se compreendermos que o saber é centrado a partir de cexistências múltiplas, entenderemos que ele pode ser produzido de muitas formas e por muitos povos. Assim, o centro deixa de ser visto como único e exclusivamente a Academia e passa a fazer parte de uma ciranda de conhecimento  personificado numa anciã indígena que carrega a história oral de seu povo, nas produções das quebradas que multiplicam as vozes das juventudes e seus protagonismos, nas terras quilombolas e seus ciclos de resistir. Nesta extensa compreensão da produção e existências, periferia é o centro e periféricos são aqueles que se limitam a tapar os ouvidos para esta sinfonia de códigos e línguas faladas dentro dos saberes.

Eu queria ilustrar este post com duas dicas que aquecem meu coração de educadora: Audino Vilão e os Funkeiros Cults. 

Audino é a identidade de Marcelo Marques, estudante de História que reside em Paulínia. Seu sonho é ser professor. Foi com ele que pela primeira vez Nietzsche foi condecorado com o título de Roba Brisa e o Mito da Caverna de Platão chegou nos becos e vielas. Seu canal do Youtube traz obras clássicas narradas pelo olhar das quebradas. Uma forma linda de se dizer que é possível compreender muitos dos pensares que mudaram o mundo a partir da comunicação respeitosa sobre a vida, as emoções e a realidade perfeitamente compreendida pela galera.

Audino Vilão: O Mito da Caverna para Becos e Vielas






Os Funkeiros Cults é uma página em que a galera busca obras clássicas, faz uma foto de oclinho escuro e posta com uma legenda sobre o que entendeu do texto. Conheci pela postagem sobre "A metamorfose" de Kafka e aí não parei de seguir. Dos posts nasceu um grupo no Facebook que, para além de incentivar as leituras que viram memes, grupos de professores fazem parte ajudando a população na mediação de leituras, dicas para vestibular e discussões sobre a realidade. Para participar do grupo, é necessário deixar suas intenções. A primeira postagem é sobre Cêis tão ligado que funkeiro não é fantasia, né?




As duas iniciativas a mim dizem muito e me ensinam também. Primeiro que mostra a potência das juventudes e das quebradas. Depois, nos ensina como socializar os saberes, como fazer uso de ferramentas que são capazes de serem atrativas para assuntos que parecem ou são feitos para serem inalcançáveis e exclusivos. Para além desta gama de clássicos, esta galera tem trazido à debate muito além. Silvio Almeida (meu Silvinho do Coração) teve uma de suas obras debatidas e homenageadas. Em sua participação no programa Roda Viva, ele confirma o poder de iniciativas como estas mostrando o seu alcance em tornar acessível estes conteúdos.

O caminho inverso também é de muita importância. Olhar com respeito e valor as produções musicais, audiovisuais e tantas outras que narram as histórias vividas nas florestas ou nas vielas não só é necessário como enriquecedor. Temos o dever e o exercício de não deixarmos que um tempo ou um povo seja exaltado por uma História única.

Obrigada, Audino. Valeu Funkeiros.



23 de jun. de 2020

Potências Negras por Bárbara Lima

Olá, sou Bárbara Lima, formada atriz, estudante de pedagogia e pesquisadora pelo centro de estudos periféricos - CEP, da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Fui convidada pela Nathalia Triveloni a falar um pouco sobre as minhas referências enquanto pessoa preta. Achei que a melhor maneira de começar é indicando materiais que nos façam refletir em como o racismo pode aparecer das formas mais veladas possíveis e o quanto é importante falarmos sobre o que pessoas negras fizeram ou fazem para combater toda essa estrutura racista.


como ser antirracista


Carolina Maria de Jesus – Diário de Bitita


Essa obra de Carolina é inspiradora para mim. Relata fatos de sua vida que ocorreram logo após a falsa abolição no Brasil, mostrando como o processo de genocídio preto se perpetua. Cita o racismo presente desde a violência policial em comunidades negras à pretos não poderem frequentar escolas. Além da obra ser um escudo para toda pessoa preta que resiste ao racismo cotidiano, o livro esclarece que a escravidão ainda continua presente, de outras formas ou igual. Carolina é atemporal e retrata nessa obra, como podemos resistir a essas mazelas e para pessoas brancas entenderem como o racismo está presente no dia a dia de qualquer preto, em absolutamente todas as esferas da vida humana. O mais interessante é a história ser narrada pela Carolina criança, onde era chamada carinhosamente de Bitita.



Carolina Maria de Jesus – Diário de Bitita


Baco exu do blues – Blvesman – Filme Completo


O curta-metragem blvesman, se inicia com um rapaz negro jovem correndo. Ao mesmo tempo que se passam cenas de vários momentos de sua vida. Para o senso comum da branquitude a impressão é que a qualquer momento ele vai levar um tiro, está sendo perseguido, ou algo parecido. Pois Baco dá um tapa na cara do espectador ao final, quando o rapaz só está atrasado para uma aula de música clássica. Na realidade, existem outros significados envolvendo o candomblé, religião de matriz africana seguida por Baco, mas essa reflexão deixamos para um outro momento.


O  clipe “Bluesman”, de Baco Exu do Blues levou o Grand Prix na categoria Entertainment for Music do Cannes Lions 2019. O GP é a premiação máxima do Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions, um dos eventos mais relevantes do mercado publicitário no mundo. 





Jarid Arraes – Heroínas Negras Brasileiras: em 15 cordéis


O livro reúne 15 cordéis que narram a vida de mulheres negras que fizeram história para a população preta na história do Brasil, são essas: Antonieta de Barros, Aqualtune, Carolina Maria de Jesus, Dandara dos Palmares, Esperança Garcia, Eva Maria do Bonsucesso, Laudelina de Campos, Luísa Mahin, Maria Felipa, Maria Firmina dos Reis, Mariana Crioula, Na Agontimé, Tereza de Benguela, Tia Ciata e Zacimba Gaba. A obra é essencial para conhecermos grandes potências pretas que deveriam estar nos livros da escola. 



Jarid Arraes – Heroínas Negras Brasileiras: em 15 cordéis.


Djonga – Hoje não



Esse videoclipe do Djonga, vulgo Gustavo Pereira, faz referência ao acontecimento da morte da criança Agatha Félix de 8 anos, no complexo do Alemão no Rio de Janeiro em setembro de 2019, mas a narrativa final no clipe é invertida e quem ‘’morre’’ são arquétipos de um político, um policial e um burguês. Os arquétipos dos policiais sem rosto trazem uma licença poética nos fazendo refletir que mesmo eles sendo negros, ainda não tem uma visão de que, compactuando com esse genocídio, estão também apagando a si próprios. Além da letra trazer várias referências de crianças negras mortas, assim como Agatha, também deixa explícito que o problema do racismo e genocídio preto não é apenas de um indivíduo branco e sim de todos eles



Finalizo essa reflexão com um meme da página @escurecendofatos, que nos mostram que para ser antirracista ainda existem alguns degraus que a branquitude está querendo pular, ou seja, é um caminho muito longo pela frente, onde mesmo quando alcançarem esse lugar de antirracismo, ainda existem outros degraus para subir. 


como ser antirracista


   Post by Bárbara Lima  

9 de jun. de 2020

Maria Angélica Àse nos convida a conhecer e escutar Lazzo Matumbi

Convidada do dia: Maria Angélica Àse, Educadora.

Lázaro Jeronimo Ferreira, um menino de 12 anos que acompanha sua mãe Nezinha, Minervina (mesmo nome de minha avó também baiana, já falecida) pelas casas no Samba de São João tocando prato, uma mulher forte e de referência musical na comunidade.


Lazzo Matumbi


Surge daí, de sua herança ancestral materna, o som, o ritmo e a voz forte de Lazzo Matumbi. Cantor  e compositor, conhecido nacionalmente e mundialmente como a voz da Bahia, hoje com mais de 30 anos de carreira. Lazzo é um dos grandes expoentes da MPB, que para mim significa, música preta brasileira, já que na sua essência as grandes inspirações e personalidades que deram origem a esse estilo musical eram e são artistas negros.

Nascido no bairro Garibaldo, em Salvador, teve como referência musical o Soul do Garcia e o som do Candomblé de mãe menininha no alto do Gantoá. Além de influências que permeiam desde Wilson Simonal a Gilberto Gil e o Reggae.

Lazzo já foi integrante do grupo Ilê Aiyê, o mais antigo bloco afro do carnaval de Salvador, entre os anos de 78 e 80. Narra que naquela época conseguiram fazer uma revolução no carnaval, pois pasmem, os blocos não tinham espaço para os negros, sendo Salvador a capital com mais negros no Brasil. Lembra também  que o nome “Axé” é forte dentro da comunidade negra por conta da religiosidade e foi utilizado de forma deturpada para nomear o estilo conhecido hoje como “Axé music”, usavam o termo de maneira pejorativa como a música da negrada.

Escutem Lazzo Matumbi. Escutem em todos os sentidos seu ritmo, sua melodia e principalmente suas palavras. Essa trazem a força da música negra na cultura baiana e brasileira.

Deixo aqui um trecho da canção 14 de Maio, música de Lazzo Matumbi e Jorge Portugal:

“Será que deu pra entender a mensagem?
Se ligue no Ilê Aiyê
Se ligue no Ilê Aiyê
Agora que você me vê
Repare como é belo
Êh, nosso povo lindo
Repare que é o maior prazer
Bom pra mim, bom pra você
Estou de olho aberto
Olha moço, fique esperto
Que eu não sou menino” 






Um Salve a todos e a todas! Mojubá!

***



Texto de Maria Angélica Àse

Inventora e pesquisadora de jogos de tabuleiro com temáticas afrobrasileiras e indígenas.
Especialista em Jogos e brincadeiras afrobrasileiras e africanas pela UFSCar - Educação Física escolar. Brincante e educadora de crianças e jovens.


maria angélica àse


6 de jun. de 2020

O que é racismo estrutural e como ser antirracista, por Caio San

Olá a todos. Sou Caio San, pai do Gael de 2 anos de idade, namorado da Rosario, host do podcast Refogado onde falo sobre comida e cozinha e, em última instância, diretor de arte e designer. Vivo no Chile há 6 anos e fui convidado para falar sobre racismo e sobre ser negro.


o que é racismo estrutural e como ser antirracista



Minhas dicas serão em forma de uma narrativa onde espero que você saia do seu mundo comum, seja apresentado ao problema e reflita sobre o racismo estrutural
na sociedade e como ser anti-racista.


Dica 01 - Apresentação do problema na infância 

  • Documentário “Olhos Azuis” (Blue Eyed)
No dia 5 de abril de 1968, um dia após o assassinato de Martin Luther King, a professora primária Jane Elliot inconformada com o racismo da sociedade americana
na época, resolveu aplicar um experimento em seus alunos, todos brancos, os dividindo entre olhos azuis e olhos castanhos, dando uma braçadeira aos que tinham
olhos azuis e após isso, começou a dizer que as pessoas de olhos castanhos eram superiores, escrevendo MELANINA na lousa e explicando que o pigmento dos olhos conferia mais inteligência. Os resultados disso apareceram em poucas horas. E aqui você entenderá como funciona a dinâmica do racismo desde a infância.




Dica 02 - O problema estruturado e potenciado na adolescência

  • Minissérie de 4 episódios “Olhos que Condenam” (Netflix)
Baseada em um caso real, ela mostra como a polícia e a justiça é cruelmente parcial ao perseguir, julgar e executar negros. Somado ao problema de origem que vimos em Blue Eyed, agora vemos 5 jovens injustamente condenados pelo estupro de uma mulher branca que corria no Central Park. Importante frisar que promotora que os condenou criou a narrativa do estupro e foi condecorada por isso na época, escreveu livros, participou de programas de televisão e só depois do lançamento do documentário que ela começou a sofrer as reações do seu crime de condenar sem provas. Ela é branca. E é importante pontuar que 5 pessoas ficaram presas por 13 anos injustamente, adolescentes na época. Produção e direção de Ava Duvernay, mulher, negra e multitalentosa que também dirigiu “Selma - Um sonho de liberdade”.


o que é racismo estrutural e como ser antirracista



Dica 03 - Racismo estrutural e como as lutas funcionam
Agora nem é filme, nem documentário, mas sim um programa da GloboNews se desculpando de, no dia anterior, discutir o racismo estrutural brasileiro convidando 5 jornalistas brancos. Seria o equivalente a convidar 5 homens para discutir gestação e puerpério, por exemplo. Eles se corrigiram e no link que mando, o programa foi novamente gravado com 5 jornalistas negros discutindo realmente o que é sofrer o racismo no dia a dia. São 5 jornalistas negros excelentes que já passaram por todo or racismo estrutural e mesmo assim o óbvio teve que ser esfregado na cara da GloboNews para eles se retificarem. É assim que funciona o racismo brasileiro, o descaso é natural das pessoas que tem poder, tanto que nem “perceberam” o absurdo da situação onde 5 brancos discutem o racismo contra negros.


o que é racismo estrutural e como ser antirracista



Dica 04 - Nossas fortalezas e por que é importante começar desde cedo


  • Livro infantil Amora, de Emicida (Editora Companhia das Letrinhas) 
A parte 4 é a final e representa o trabalho de base que tanto negros como brancos devemos fazer para vencer esse racismo estrutural e nesse livro curtinho
(que dei de presente pro Gael) Emicida fala de forma poética e com ilustrações muito bem feitas por Aldo Fabrini, sobre a importância de ser negro e a
relação das amoras com a sua filha, Estela, num passeio no jardim:


“Em um passeio com a pequena no pomar, explico que as pretinhas são o melhor que há. Amoras, penduradas a brilhar, quanto mais escuras, mais doces,
pode acreditar.” Ainda há esperanças. O problema é imenso e ele já nos tritura desde cedo e cresce junto conosco, muitas vezes não dando nem
a oportunidade de crescermos e se desenvolver (Agatha, João Pedro e agora Miguel, o menino de 5 anos que foi negligenciado pela chefe de sua mãe
e caiu do nono andar de seu edifício... 5 anos...). Se lutarmos juntos, vamos conseguir pelo menos mitigar o problema pra que as próximas gerações
sejam mais conscientes.


(versão animada)


Um abraço e até mais.
CaioSan
contato@refogadopodcast.com

15 de mai. de 2020

Verão Europeu 2020: praia ou lage?

Verão Europeu 2020: praia ou lage?


Conforme falei no meu último post, Portugal está em processo de desconfinamento desde o dia 04 de maio, e para quem acha que isso é sinal de vida "normal" novamente, está bem enganado. São muuuuitas regras a serem seguidas e cautela é a palavra que melhor define o momento.

Com a aproximação da chegada do verão europeu uma grande fonte de preocupação do governo era em relação à liberação do uso das praia. Desde o dia 4 os surfistas puderam voltar a prática do esporte, as caminhadas e corridas à beira mar também estão liberadas, mas só isso.

E apenas hoje, onze dias depois do fim do estado de emergência, é que o governo Português liberou um manual com as regras para retorno das praias, que poderão voltar a ser frequentadas a partir do dia 06 de junho. São 78 regras no total, que ao meu ver fazem todo sentido, aqui abaixo listo algumas:


  • As praias passarão a ter sinalização (verde, amarelo e vermelho) informando como está o limite de capacidade de banhista.
  • Será lançado um app para informações de praia com atualizações em tempo real sobre a questão da lotação de cada praia.
  • Cada praia terá apenas um local para entrada e outro para saída, assim o número de banhistas poderá ser controlado, e deve ser respeitado o espaço de 1,5mt entre cada pessoa.
  • Na entrada da praia será disponibilizado água, sabão ou álcool em gel para que os banhistas higienizem as mãos.
  • Na areia, o espaço de 3mts deve ser mantido entre cada guarda-sol. Entre cangas, o espaço precisa de 1,5mts.
  • Equipamentos de uso coletivo estão proibidos.
  • Um plano de contingência será colocado em prática caso sejam identificados banhistas ou prestadores de serviço que desenvolvam quadro respiratório agudo de tosse.
  • As lixeiras da praia passarão a ser com pedal, para que não seja necessário usar as mãos.
  • Vendedores ambulantes devem utilizar máscara ou viseira quando durante atendimento aos banhistas.
  • Atividades físicas serão permitidas para grupos de no máximo 5 pessoas.
E aí, você encararia? Praia ou lage?


12 de mai. de 2020

Turismo em tempos de pandemia

turismo pandemiaAqui em Portugal saímos do estado de emergência no dia 04 de Maio e agora começo a vislumbrar uma luz no fim do túnel. Porém, ainda estou muito apreensiva com toda a situação do Brasil e no resto do mundo, mas tenho tentado pensar positivamente. Saber que depois de 52 dias de isolamento intenso por aqui a situação conseguiu dar grandes sinais de melhora só me faz desejar que no Brasil as pessoas entendam que quanto mais isoladas ficarem, mais rápido tudo vai melhorar.

Por aqui as restrições ainda são muitas, o medo e a ansiedade ainda é grande, mas já comecei a querer pesquisar mais sobre o futuro de alguns setores que gosto, como o Turismo. Separei os fatos que achei mais interessantes até o momento. 








turismo pandemia1. WELCOME PROTECTION 

O vinho antes oferecido como boas-vindas ganhou novos “companheiros”, máscara, álcool em gel e um manual com as normas de segurança, impostas pelo governo local durante a pandemia. Essa é só uma das muitas medidas que o setor já começa a aplicar para retomar. Isso aconteceu comigo na semana passada ao me mudar de Airbnb, a foto esta aí para comprovar.








2. FÉRIAS NO SEU PAÍS 
Empresas de turismo estão apostando suas fichas no mercado interno. Com muitas fronteiras fechadas as empresas mudaram o tom de comunicação, o foco agora é oferecer experiências e conforto para que as pessoas curtam as férias em seu próprio país. O discurso vai além das questões fronteirças, e muitas empresas estão deixando claro em sua comunicação como é importante que a população ajude seu país na retomada da economia, seja escolhendo sua próxima estadia, restaurante e prevalecendo a compra de produtos de origem nacional.


turismo pandemia





turismo pandemia
3.  QUESTÃO DE REPUTAÇÃO


A forma como cada país tem agido para combater a pandemia será um fator importantíssimo para os turistas na escolha do próximo destino. A segurança sanitária ganha importância vital para o relançamento dos destinos turísticos. Quanto maior o descaso dos governantes com essa pandemia, maiores serão os números de infectados e mortes, e na hora de escolher o próximo destino turístico checar essas informações será um dos fatores mais relevantes para a tomada de decisão.


turismo pandemia4. ANTES DO CORONA / DEPOIS DO CORONA
As previsões de retomada do turismo na Europa revelam que apenas em 2022 o setor volte aos números pré-corona. Até lá, um dos principais focos na comunicação serão as certificações de boas práticas de segurança e garantia de distanciamento, e com isso recuperar a confiança do viajante. Portugal criou o selo "Clean and Safe", as empresas que optarem por adequar seus processos de higienização ao protocolo recomendado pela DGS - 
Directorate-General for Health poderão exibir   (Fonte: Neoturis)



turismo pandemia5. É HORA DE SE REIVENTAR

Como o cenário ainda é bem volátil, os processos de reembolso, cancelamento ou remarcações passam a ser revistos por todas as empresas do setor. A ideia é descomplicar e agilizar esse processo. A Cia aérea Emirates, por exemplo, oferece três opções para seus clientes que tiveram cancelamentos de voos e sofreram as consequências das restrições de viagem devido à pandemia.


turismo pandemia6. DESCOMPLICAR PARA ACELERAR 

Enquanto o medo prevalece à vontade de viajar, plataformas turísticas precisam se reinventar. O airbnb mais uma vez tomou a frente e já oferece experiências virtuais em seu site. Agora você não precisa estar em Portugal para aprender com um morador local como preparar pastéis de nata ou ir até a Espanha para ter uma aula particular de flamenco.


turismo pandemia7. MÁSCARA É O MÍNIMO


A KLM está renovando o ar na cabine a cada 3 minutos e utilizando filtros "High Efficiency Particulate Air"’ ou HEPA, idênticos aos usados ​​nas salas de operações de hospitais. Esses filtros extraem mais de 99,99% dos menores vírus. Os vírus do tipo coronavírus, variando em tamanho de 0,08 a 0,16 micrômetros, são filtrados pelos HEPA.


turismo pandemia8. DESCANSO MERECIDO 
O vilarejo de Engelberg, na Suíça Central, em conjunto com o campeão olímpico Dominique Gisin estão oferecendo uma viagem inesquecível de presente para os agentes de saúde para quando tudo isso passar. Podem participar toda a equipe de hospitais e instituições suíças, incluindo médicos, equipe de enfermagem e os demais profissionais que estão expostos ao vírus.


turismo pandemia9. LIMPEZA CERTIFICADA


Airbnb anuncia Programa Avançado de Limpeza para o futuro das viagens. O programa está sendo desenvolvido com orientação de autoridades sanitárias e em parceria com especialistas em hospitalidade e higiene médica locais. Os hóspedes, em breve, poderão identificar e reservar as acomodações incluídas no Programa logo após a adesão dos anfitriões. O Hotel Hilton já fez um update no seu procedimento de higienização dos quartos, e agora as portas serão lacrada com um papel após cada limpeza, o papel estando intacto é sinal de que o quarto não foi reaberto por ninguém antes dos hóspedes (o que me lembra aqueles lacres de delivery).



turismo pandemia10. MELHOR PREVENIR, DO QUE REMEDIAR
A Cia aérea Frontier Airlines é a primeira do setor a comunicar que todos os passageiros e tripulação terão a temperatura checada antes dos embarques. A partir dos 38º será solicitado aguardar por alguns minutos para uma segunda checagem, caso a temperatura continue elevado o passageiro ou tripulante não poderá seguir viagem.


Agora me diga você, tem planos de viajar ou ainda está sem coragem? E qual será o primeiro destino que pretende visitar quando tudo isso passar?









21 de mar. de 2020

Corona Vírus: 50 startups, empresa e profissionais que estão se disponibilizando a ajudar durante a Pandemia

faça o bem que o resto vem
Arte by @marquestalita

Aqui vai uma lista de startups, empresas e profissionais que estão se disponibilizando para ajudar com o que podem durante a pandemia do Corona Vírus. Compartilhe esse post com seus amigos, vamos fazer essa rede de colaboração aumentar <3 

1.Samba Tech 
DESCRIÇÃO: Empresa referência em vídeos online 
O QUE ESTÁ FAZENDO: vai disponibilizar recursos tecnológicos e transmissão ao vivo, de forma gratuita, para que escolas, instituições públicas, alunos e profissionais de ensino possam interagir entre eles e disseminar o conhecimento para todo o Brasil com intuito de minimizar o impacto que o coronavírus irá causar no ensino brasileiro. 


2. EMPRESA: FullFace 
DESCRIÇÃO: Empresa brasileira e especializada em biometria facial 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Irá disponibilizar gratuitamente o serviço de autenticação facial para as instituições de ensino e alunos que optarem por dar continuidade às aulas, atividades ou provas no sistema EAD. O benefício proporcionado pela empresa terá duração de três meses. 


3. EMPRESA: Consolide 
DESCRIÇÃO: a startup especializada em registro de marcas 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Coloca seu time jurídico à disposição para tirar dúvidas, de maneira remota e gratuita, sobre direitos e deveres de empresas e trabalhadores nesse momento de quarentena, a exemplo de antecipação de férias, liberação de FGTS, jornada home office e outras questões que possam surgir. 


4. EMPRESA: Qranio 
DESCRIÇÃO: plataforma mobile de aprendizagem que usa a gamificação para estimular os usuários a se envolverem com conteúdos educacionais; 
O QUE ESTÁ FAZENDO: irá disponibilizar gratuitamente, durante três meses, sua plataforma para que professores, escolas públicas e privadas possam continuar suas atividades à distância com seus alunos até a normalização das aulas. 


5. EMPRESA: Promobit 
DESCRIÇÃO: plataforma de social commerce 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Em categoria Promoções/Grátis o Promobit selecionou alguns e-books, jogos, aplicativos e cursos para todas as idades. Para conhecer nessa relação é só acessar o link: https://www.promobit.com.br/promocoes/grátis.


6. EMPRESA: Sucellos 
DESCRIÇÃO: Consultoria de gestão estratégica de marca & inteligência para investimento de risco (Venture Capital & Private Equity). 
O QUE ESTÁ FAZENDO: 1 hora de mentoria para uma startup, todos os dias, até 30/04, para definir ações que reforcem sua marca na crise e aumentem suas vendas. 
SITE: www.sucellos.com.br 


7. EMPRESA: Apponte.me 
DESCRIÇÃO: solução de relógio de ponto eletrônico e controle de jornada com função de ponto em celular, tablets e desktop 
O QUE ESTÁ FAZENDO: 60 dias grátis da solução completa, para empresas que queiram colocar seus colaboradores em home office para evitar contágio ou dispersão do vírus. 
SITE: www.apponte.me 


8. EMPRESA: N2B 
DESCRIÇÃO: aplicativo de acompanhamento nutricional com profissionais de verdade (versão whitelabel para grandes clientes) 
O QUE ESTÁ FAZENDO: disponibilizará conteúdos nutricionais nas plataformas dos apps para que as pessoas saibam quais alimentos comprar, como armazenar e como manter a imunidade alta. 

9. EMPRESA: Kinedu 
DESCRIÇÃO: O Kinedu é um aplicativo de desenvolvimento infantil para crianças de 0 a 4 anos, que sugere atividades baseadas na ciência do desenvolvimento, para que os pais possam brincar com seus filhos e impulsionar seu desenvolvimento - um serviço adequado para dar continuidade às experiências de aprendizagem em casa. 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Em resposta ao fechamento das escolas no Brasil e no mundo, o Kinedu está oferecendo seu aplicativo GRATUITAMENTE até 15 de Abril no mundo todo. A assinatura anual normalmente custa R$ 179,90, e pode ser acessada por qualquer navegador, na App Store, da Apple, e no Google Play em três idiomas: Português, Inglês e Espanhol. 


10.EMPRESA: Gramado Summit 
DESCRIÇÃO: Venda de ingressos com parte destinada ao combate do coronavírus 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Até o final de maio, 10% de cada ingresso vendido para a Gramado Summit 2020 será destinado para o Hospital de Gramado, para atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e prevenção do coronavírus. 

11.EMPRESA: Supermercado Now 
DESCRIÇÃO: maior plataforma de supermercado online 
O QUE ESTÁ FAZENDO: A startup liberou frete grátis para todos os clientes acima de 60 anos. A ideia é ajudar o grupo de risco, idosos, a realizar as compras de supermercado sem precisar sair de casa. O benefício está liberado até o dia 31 de março e é automático para clientes já cadastrados na plataforma. 


12.EMPRESA: Noknox 
DESCRIÇÃO: startup que conecta pessoas aos seus locais de convivência unindo praticidade, segurança e conforto 
O QUE ESTÁ FAZENDO: A empresa criou uma plataforma chamada Vizinho do Bem. A ideia é conectar pessoas em situação de risco - idosos, pessoas em quarentena, e com comorbidades - que não possam sair de casa com pessoas dispostas a ajudar para a realização de atividades como ir ao mercado, farmácia ou buscar algum objeto, por exemplo. Após localizar alguém para ajudar, o sistema envia uma notificação via whatsapp. 


13.EMPRESA: C&M Law (Cunha & Mantovani) 
DESCRIÇÃO: Escritório de advocacia focado em negócios 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Está disponibilizando 30 minutos de assessoria jurídica pro bono para empreendedores, pequenas empresas e negócios que estão sendo afetados pelos efeitos da crise do COVID-19, auxiliando e orientando na adaptação para enfrentamento da crise, diminuindo os prejuízos no curto e médio prazo 


14.EMPRESA: Mais.im 
DESCRIÇÃO: Plataforma de comunicação para integrar equipes de forma fácil, com controle e governança das informações para apoiar a gestão de processos e a tomada de decisões. 
O QUE ESTÁ FAZENDO: Estamos disponibilizando gratuitamente a plataforma de comunicação interna e externa, para hospitais e instituições públicas, bem como a rede de parceiros em torna dessas organizações, até que a pandemia seja controlada. 
SITE: https://mais.im 


15.EMPRESA: Todo Cartões 
DESCRIÇÃO: Plataforma gratuita para criação e venda de cartõespresente para pequenos e médios lojistas, profissionais liberais e freelancers, gerando receita enquanto clientes não podem consumir seus produtos e serviços. 
 O QUE ESTÁ FAZENDO: Estamos disponibilizando gratuitamente nossa plataforma de criação e gestão de cartões-presente, para ajudar empreendedores de pequeno e médio porte a gerarem receita e terem fluxo de caixa durante os períodos de baixo ou nenhum movimento, ocasionados pelo Coronavírus. 
SITE: https://conteudo.todocartoes.com.br/todospresentes 

18 de fev. de 2020

Luta por Justiça, um filme que escancara o racismo estrutural

filme luta por justiça cinema


Dez minutos antes de entrar na cabine de imprensa do filme Luta por Justiça, a convite da Warner Bros., eu lia a matéria do El Pais sobre o caso de racismo que o jogador Marega sofrera na Europa. E “Luta por Justiça” tem tudo a ver.
Nos Estados Unidos do final dos anos 80, o advogado negro recém-formado Bryan Stevenson – interpretado brilhantemente por Michael B. Jordan – troca o conforto das promessas da Faculdade de Direito de Harvard pelos casos esquecidos e injustiçados do Alabama. E é lá que ele conhece a história de Walter McMillian – incorporado pelo majestoso Jamie Foxx- preso injustamente e acusado por um assassinato que não cometeu.
A história do filme é real e baseada no livro escrito por Stevenson que também assina a produção executiva do longa. Com diálogos certeiros e carregados pelas dores e injustiças que o racismo estrutural causa, “Luta por Justiça” desnuda uma sociedade ainda atual pautada na voz e na legitimidade branca que se cala e se deleita em privilégios lutando para não serem perdidos. Batalha esta que custa a vida e a dignidade de milhares de pessoas negras pelo mundo todo.
Stevenson, ainda atuante em sua causa, só foi capaz de seguir adiante com seu propósito porque sabia exatamente o que é ser julgado por sua cor antes mesmo da decisão de um tribunal. Fato este que eu, como branca, jamais serei atravessada. Saí do cinema munida de esperança e de reflexões. Voltei ao campo de futebol em que Marega jogava, brilhava e era perseguido, xingado e humilhado. Naquele estádio e na vida, eu jogava ao lado dele. Mas isto não foi suficiente porque nunca o é. 
Angela Davis que sentiu na pele o preconceito estadunidense, nos alertou que só não ser racista não seria suficiente. Deveríamos ser antirracistas. E para isso, se a torcida não é punida pelos seus preconceitos, chamamos a responsabilidade a campo. Se o juiz pune a vítima, questionamos as estruturas sociais e do futebol, e nos colocamos contra isso não aceitando. Se a saída mais certeira do momento for a escolha do seu parceiro negro em abandonar o campo, cabe respeitá-lo e dar as costas para uma partida carregada de injustiças. Nunca, nunca fazê-lo pensar que o que ele sente é errado. Até mesmo porque podemos opinar sobre, mas este não é e nunca será o lugar de fala de um branco. Se insistirmos na ideia, reproduziremos a lógica que nos ensinaram.
Filmes como este nos trazem à reflexão e ao questionamento sobre a reprodução de uma ordem estabelecida que privilegia brancos. Que bom que saímos dele pesarosos e desconfortáveis. Mas o quê fazer agora? Interromper estas práticas pessoais e nas suas relações sociais já é um começo. Ouvir e respeitar a história do outro também. Ler autores e autoras negras, conhecer histórias de resistências como estas e tantas outras que, por gerações, travam uma batalha para que pessoas continuem existindo.

Luta por Justiça entra no circuito nacional dia 20/02.


15 de fev. de 2020

CCSP apresenta Made in Korea, um festival de cinema coreano

Seguindo a onda do filme sul coreano, vencedor do Oscar 2020, Parasita. O Centro Cultural de São Paulo (CCSP) recebe a mostra Made in Korea, que conta com a exibição de vários filmes coreanos até o dia 23 de fevereiro (corre que ainda dá tempo), na sala Lima Barreto, com entrada gratuita!
cinema coreano dicas de filmes coreanos

A programação conta com alguns dos clássicos do cinema coreano e também da filmografia do Bong Joon Ho, diretor do Parasita.
Se você assistiu ao filme de Bong e adorou ou ainda irá conferir o filme, aqui vai uma oportunidade de conhecer mais algumas de suas obras como os filmes “Memórias de Um Assassino” e “Mother – A Busca Pela Verdade”, e também aproveitar para conhecer outros estilos de filmes de diretores coreanos.
Confira abaixo a programação, que está incrível, dos 15 filmes:
16/02 - Domingo
15h30 - Invasão Zumbi*
18h - Um Dia Difícil*
20h - The Gangster, The Cop, The Devil

18/02 - Terça
15h - Mother – A Busca Pela Verdade
17h30 - Old Boy*
20h - O Caçador

19/02 - Quarta
16h30 - Em Chamas
19h30 - The Yellow Sea

20/02 - Quinta
15h - Eu Vi o Diabo
17h30 - Um Dia Difícil*
19h45 - Crying Fists

21/02 - Sexta
16h - O Lamento
19h - A Criada*

22/02 - Sábado
15h - Mr. Vingança
17h30 - Old Boy*
20h - Lady Vingança

23/02 - Domingo
15h - Medo
17h15 - Memórias de Um assassino
19h45 - Mother – A Busca Pela Verdade
*Esses filmes eu já assisti e super recomendo. 
  • Old Boy é um clássico do cinema coreano, e acho que foi um dos primeiros filmes que assisti. É quase obrigatório assistir se você ama um filme de muita ação e violência. 
  • A Criada, eu indiquei em outro post, que vale a pena assistir se você gostou do filme Parasita. Tem muita tensão, reviravoltas, e muitas surpresas. Não é um filme leve, ele chega a ser um pouco perturbador, mas a fotografia e a narrativa impressionam.
  • Invasão Zumbi é um filme como o nome já conta: de zumbi hehehe, se este é um tema que curte, pode apostar que vale a pena. Tem uma narrativa tão envolvente e humana, que apesar das cenas dos zumbis quase reais, de muito sangue e violência, posso considerar um drama.
  • Um dia difícil deve ser um dos meus favoritos, ele é de suspense policial, daqueles de tirar o fôlego e de fácil entretenimento. Preciso dizer mais alguma coisa??

Dos filmes nessa programação, listei 3 que quero muito conferir:
  • Em chamas
  • Mother – A Busca Pela Verdade
  • The Gangster, The Cop, The Devil. 

Espero que tenha curtido a dica e aproveite! E claro, me conte se for assistir a algum dos filmes e o que achou deles.
SERVIÇO: A bilheteria abrirá uma hora antes da primeira sessão do dia para a retirada de ingressos. O CCSP fica na Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso - São Paulo.
Ah, e tem mais: o filme “Parasita” ainda está em cartaz em diversos cinemas! Vamos valorizar o cinema de outros países <3