11 de set. de 2019

México: Pueblos Magicos

Tem alguma coisa no México que te atravessa. Ouvi muito esta frase, mas pude senti-la muito mais. E é verdade. No último post, contei um pouquinho sobre minhas aventuras na Cidade do México, cosmopolita, cheia de museus, mas eu queria entender este país na sua essência. E sabia que isso só seria possível se eu me embrenhasse pelos Pueblos Magicos. E é aí que começa toda a magia.

Os Pueblos Magicos são cidadezinhas que foram agrupadas pela Unesco com esta nomenclatura a fim de valorizar e incentivar a história e a cultura de cada parte do México. Arrisco dizer que fazer esta jornada foi o momento mais incrível da viagem.

Como ir para os Pueblos?

De ônibus: ADO

Pra começar, devo dizer que existem algumas formas para acessarmos os Pueblos. Eu optei fazer o trajeto de ônibus. A companhia mais segura, pontual e incrível para estas viagens é a ADO. Se não for temporada de férias mexicanas, você consegue comprar seu bilhete nos guichês de qualquer cidade mexicana. Mas se você for ansioso (a) como eu, pode já comprar pela internet. O sistema de pagamento para nós brasileiros é pelo Paypal. Super seguro e eficiente. Fique de olho nas tarifas. Alguns horários são bem mais baratos que outros pelo site da companhia de ônibus. Então, se você gosta de dar aquela economizada, planeje bem o roteiro que será sucesso. =)

De avião: Volaris

De San Cris para Cancún, eu fiz com a Volaris. Recomendo porque também as tarifas são super econômicas e os vôos pontuais. Na Riviera Maya, temos um pueblo maravilhoso que é Isla Mujeres que acessei de barco. Neste post falarei de outras localidades porque Cancún não nos traz nenhuma novidade.

O que não perder em todos os Pueblos

Cacao

Aprendi no México que Cacao é muito mais de beber do que de comer. Um exercício pra mim que amo chocolate em barra e quase nunca o  bebo. Então, se você ama provar os sabores dos lugares, pare sempre numa barraquinha na rua dos pueblos e peça o Cacao geladinho e delícia. Você vai perceber que em cada canto é de um jeito.

Mole

Na língua nahuatl, mole é molho. E cada povo prepara o seu de seu jeito. Ainda na temática provar tudo que conseguirmos, não deixe de degustar o de cada pueblo. O meu favorito foi o de Puebla. =)

Trenzinhos no centro histórico

Você pode comprar  o ticket do trenzinho que sai da praça principal dos pueblos e circula pelo centro histórico. Ok, pode achar que é turistão demais, mas eu acho que se tem uma visão panorâmica bem massa dos lugares pra sair caminhando depois. 


Dito isto, daremos início ao nosso roteiro


1- Puebla

A quase duas horas da Cidade do México, Puebla é uma gracinha. Rodeada de histórias, minha trajetória de memórias mexicanas começou logo na hospedagem. 




 Leonora Hostal

O Hostel Leonora, lugar em que fiquei e foi residência do governante. Maravilhoso e super aconchegante. O mobiliário é todo da época e os quartos ficam no mezanino. As camas, espelhos e os banheiros são históricos. No pátio funciona um restaurante aberto ao público. Ele fica no centro  e na sua rua, temos vários restaurantes e barzinhos também.

Para conhecer Puebla, basta se perder por suas ruazinhas coloridas. Alguns lugares são imperdíveis como os listados abaixo:

Calle Los Sapos

Pra quem ama aquele ar de cidade pequena, passear pela Rua dos Sapos é uma boa pedida. Por lá rolam as feirinhas de rua com artesão vendendo suas cerâmicas típicas e trabalhos de autoria própria, para além de antiguidades. Se você curte garimpar coisas legais, aqui é o caminho

La Calle de los Dulces

Imagine uma rua só com loja de doces. Então pare de Sonhar e se joga. Esta rua é uma perdição. Se você é formiguinha como eu, vai se acabar em doces típicos e sabores bem mexicanos.

Os Grafittis do Colectivo Tomate

Sou apaixonada por grafitti. E percebi que no México, a arte urbana é bastante forte. No passeio do trenzinho pelo centro histórico, próximo ao ginásio olímpico de Puebla, uma rota periférica da cidade foi toda revitalizada pelo grafitti do coletivo Tomate. Praticamente um museu a céu aberto mostrando que a arte revitaliza e traz sentidos novos para os lugares.

Mercado El Parian

Um mercedo de artesanato e coisinhas típicas para ver a arte local e comprar aquelas lembrancinhas marotas para a família

Mercado de Sabores Poblanos

Quer comer bem e se esbaldar naquele desayuno típico e farto? Este é o lugar. Se prepare para encontrar abuelitas que vão jurar que você está fraquinho e precisa comer. Um experiência única.

2- Cholula

Aquela cidade que é perfeita para um bate-volta de Puebla. O pulo do gato está em embarcar nos ônibus que ficam na estação atrás do Mercado de sabores poblanos. A passagem é super barata e a viagem dura 40min,

Além de se perder pelas ruazinhas, conhecer Cholula é estar na praça Principal. Ali você consegue avistar os principais atrativos da cidade: Os voladores (dançarinos que fazem performances aéreas), o vulcão atrás da catedral e a pirâmide com a maior base do México. Aproveite para beber uma neve, raspadinhas delícias na praça e conhecer os bordados locais.

3 -Oaxaca

Pensar em Oaxaca é pensar em Arte. Dos ateliês espalhados pela cidade até os muros cheios de grafitti e resistência. Uma cidade recheada de museus, em sua maioria gratuitos, e que funcionam até às 20h.

Vamos dar um giro?

Museus

Ex- convento de Santo Domingo: para quem ama História e arquitetura;

Instituto de Artes gráficas de Oaxaca: Para quem é da área e curioso;

Museu de Filatelia: Para os amantes de selos e de Design;

Museo Textil de Oaxaca: Para se entender a história de um povo por seus grafismos e seus bordados;

Jardin Botanico: Um dos lugares mais lindos desta jornada. Para quem ama cactus, o lugar perfeito para selfie.

Mercados gastronômicos

Mercado 20 de Noviembre e Mercado Benito Juarez: Parada obrigatória para provar comidas típicas, comprar chás, ervas, pimentinhas e muito mais.



Natureza

Hierve el agua

É natureza que você quer, @? Imagine uma cachoeira cristalizada. Agora pense num lugar de piscinas naturais incríveis. Aquele Bate-volta mágico que tem que ir se estiver por Oaxaca.



4- San Cristóbal de las casas

Oi, Chiapas! Bom, pensar em San Cris é saber algumas coisas:

Restaurantes

Quem vem pra cá já traz anotado uns nomes badalados da Calle de Guadalupe, néam? Também não escapei disso

Tierradentro: O Centro cultural Zapatista, lugar de debate, programações formativas e celebrações. Aqui é possível fazer uma refeição e até mesmo comprar produtos da comunidade. Uma experiência incrível.



Outros lugares para beber, comer, ver e ser visto: Vina del Bacco, La lupe, Casa Lum

O Café

Bom, a região de Chiapas é famosa pela produção de café. Para além dos grãos cultivados pelos Zapatistas, se você ama a bebida, pode se esbalda por aqui. Para sair e beber, eu indico o Cafébre. Para saber mais, um dos cursos rápidos do Cafeologia.


A Natureza

Canion del Sumidero, um dos lugares naturais mais lindos ever. Não deixe de ir.

Espero que vocês tenham repensado o México com toda esta magia.









Um comentário:

  1. Adorei sua postagem de hoje, sempre estou aqui acompanhando seu blog. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui e te agradeço por compartilhar...

    Beijos😘.

    Meu Blog: Dicas da Web

    ResponderExcluir