23 de jul de 2019

Menos é mais, como está sendo meu processo rumo ao slow fashion

Já faz um tempo que venho repensando o meu consumo, de roupas/calçados/acessórios principalmente. Quanto mais me informo sobre o quão prejudicial ao meio ambiente é a indústria da moda mais me espanto (é a segunda maior poluente do mundo, ficando atrás apenas da indústria petroleira), sem falar que é uma das indústria que mais possui o "trabalho escravo moderno" onde as pessoas se matam de trabalhar em situações muitas vezes degradantes e recebem muito pouco por isso. Diante de todos esses dados só nos resta duas opções: não fazer nada ou fazer alguma coisa.




A minha concientização foi um processo que levou mais tempo do que gostaria, pois esse assunto é urgente e só depende de cada um enxergar e colocar as mudanças em prática. Vou listar aqui um pouco do meu processo rumo ao slow fashion para quem sabe te inspirar a começar também :)



slow fashion
1. Pensar bem antes de comprar cada coisa. Fazendo perguntas básicas para si: "preciso mesmo disso?", "quantas peças parecidas com essa eu já tenho", "com qual frequência vou usar", "combina com bastante do que tenho para poder fazer diversas combinações e usar mais?". Essas perguntas foram no começo do processo, agora além delas eu faço mais algumas, como: "essa peça é de uma fast fashion?" (se sim, já sabemos que o processo de produção dela é imenso e com certeza o descarte das peças e a forma de produção é insana), "quem produziu essa peça" (fazendo essa pergunta ao proprietário da marca podemos saber melhor sobre as condições de trabalho das pessoas por trás daquele item), "essa peça é produzida próximo de onde moro?" (de quanto mais longe for a peça que compramos mais CO2 ela produziu", "de qual material é feita?" hoje em dia é possível comprar peças feitas com tecidos que não agridem tanto o meio ambiente ou feitas com material reciclado e afins.









slow fashion
2. Fazer uma limpa em quem eu sigo na redes sociais. Excluir marcas que não sejam conscientes, excluir pessoas que só falam sobre consumismo ou são extremamente consumistas (se for um amigx e você não quer parar de seguir por consideração você pode silenciar a pessoa e aí ela não aparece mais no seu feed e nem fica sabendo disso, isso é mara haha) e aí aos poucos você pode quem sabe ir explicando para esse amigx a importância de repensar a forma como ele vem consumindo.

3. Continuando a limpa agora é hora de ir para o e-mail e cancelar a inscrição das newsletters de todas as lojas. Ninguém precisa ficar te dizendo o que comprar, pois quando você precisar realmente de algo você vai saber. Aproveita e já exclui os apps das lojas que instalou no seu celular também ;)







slow fashion
4. Feito a limpa é hora de começar a seguir perfis que realmente agregam em algo sobre o assunto slow fashion, minimalismo, consumo consciente e lixo zero. Isso vai te inspirar ainda mais. Aqui vão alguns que sigo e recomendo:

@amanda_laboredo (eu mesma, caso ainda não me siga)
@fash_rev_brasil
@fash_rev
@the_minimalmag
@changefor.good
@modefica
@alilickel
@fashionforgood
@thesustainablefashionforum
@collaction_org
@slowfashionseason
@thenewdenimproject
@umavidasemlixo



slow fashion
5. Siga marcas que possuam um ciclo de produção correto e sustentável, aqui vão algumas (e me conta nos comentários outras para eu seguir também. Procure se informar sobre o processo de produção das peças que essas marcas vendem e valorize esse tipo de trabalho. Muita gente reclama que o preço dessas marcas é alto, mas se você deixar de comprar tanta coisa que não precisa e começar a comprar apenas o que precisa já vai notar a diferença no bolso, sem falar no fato da durabilidade desses itens que geralmente é mais longa do que as de fast fashion, pois são feitos com matéria prima de primeira e com muito cuidado na fabricação, além disso, só de saber que estamos colaborando com pequenos empreendedores, que mesmo pequenos conseguem pagar corretamente seus funcionários, e na matéria prima que usam, já dá um paz interior imensa, vai por mim :)

@casajardimsecreto
@somos_55
@giocondacollective
@oriba
@marcafala
@mariatangerina
@atelierjezebel
@grimmershop
@egueiras
@casa.diaria
@vert_shoes
@timirimbrasil 
@_reptilia
@handredstudio (ganhe R$100 de desconto na Handred usando meu cupom A2C763BE80 - mas só compre se precisar realmente de algo hem!)
@galpaojardimsecreto
@santaenuvem




slow fashion brecho em sp
6. Todo cuidado é pouco, não adianta parar de consumir de fast fashion e sair comprando um monte de coisas de marcas corretas também, né. É importante sempre lembrar o que realmente precisamos e que tudo que compramos leva um tempo grande para se decompor. Por isso, comprar de brechós pode ser uma alternativa muito bacana, pois evita que roupas usadas parem em aterros sanitários e ainda poupa energia que seria utilizada para fazer uma peça nova, além de terem um ótimo custo-benefício! Aqui vão alguns brechós que sigo e mais uma vez, se souber de outros me conta nos comentários.

@brecho_vo_judith
@750garagem
@antiquemaison_brecho
@brechosp
@ineedbrecho
@brechogatopreto



slow fashion
7. Quando você precisar realmente comprar algo, escolha bem onde comprar, dê preferência para marcas que produzem de forma consciente, que possuam materia prima ecologicamente correta, que sejam de marcas locais e não esqueça de checar se tem o que você precisa em algum brechó.


8. A última dica de hoje é sobre um documentário que foi essencial para mim nesse processo, "The True Coast", que mostra como a indústria da moda é cruel e perversa. Chorei muitas vezes assistindo, portando, estejam preparadxs. Ele está disponível no Netflix. Confira o trailer abaixo: 




Bom, esse tem sido o processo que tenho seguido rumo ao slow fashion e espero que te ajude a ir por esse caminho também. Além de ajudar o meio ambiente, sobra mais dinheiro para gente gastar com o que vale mais à pena pra gente, como viajar, fazer uns cursos, comer em lugares bacanas, ir em shows, exposições, teatros... um montão de coisas que nos dão um prazer imenso <3







2 comentários:

  1. Amei este post Amanda! Eu já sigo várias destas práticas, só compro quando preciso e se vai combinar com várias outras peças, prefiro comprar de pequenos produtores e a limpa nas minhas redes sociais e nos e-mails faço sempre!

    Um beijo,
    Blog da Kitbox

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso esse post Amanda! A gente precisa MESMO repensar nossos hábitos de consumo. Do jeito que as coisas estão, nosso planetinha não vai dar conta. :(

    Adorei a lista de marcas "do bem". Sempre bom conhecer pessoas com boas (ótimas) práticas empreendedoras! :)

    ResponderExcluir