10 de set de 2018

Doroty vai ao cinema: Marvin

Um debate complexo necessário aos dias atuais


filme marvin 2018Acaba de estrear Marvin aqui no Brasil e à convite da A2 Filmes fomos conferir em primeira mão. O filme francês, escrito e dirigido por Anne Fontaine, tem como personagem central um jovem homossexual nascido em uma pequena aldeia na França, interpretado por Finnegan Oldfield. Os grandes conflitos do filme giram em torno da luta do protagonista contra uma vida de bullying e rejeição, mas também a auto aceitação do protagonista.

O filme transita entre presente e passado e vai contando sua infância em uma sociedade totalmente retrógrada e como o teatro conseguiu ser mais que uma fuga pra ele: uma oportunidade de se reinventar. A história em si poderia ser clichê, porém, a autora e diretora, conseguiu trazer uma complexidade aos personagens que traz reflexões muito maiores ao filme do que o plot propõe. Além das duas camadas de conflito (Marvin x Mundo / Marvin x si mesmo), no que diz respeito à família do protagonista, também conseguimos enxergar alguns conflitos bem atuais.

Em tempos de debate polarizado, o filme consegue falar sobre homofobia de forma séria e levantando a bandeira, mas sem crucificar a família que rejeita o personagem. Conseguimos entender o contexto que os faz serem quem são, e também uma ou outra carga de arrependimento e tentativas de ser diferentes ao longo do filme. Considero a abordagem interessante porque seria muito fácil explorar o tema de forma maniqueísta. Mas é justamente essa sensibilidade e coragem da autora de trazer complexidade aos personagens que faz com que a trama fuja do clichê.


E não é como se o filme defendesse essa rejeição, mas mostra como, além da carga de culpa individual, o preconceito encontra terreno fértil graças a algumas instituições sociais. Desde comportamentos nocivos que são vistos repetidamente em diversas culturas até frases preconceituosas que são repetidas à exaustão, conseguimos sentir no filme como pequenos atos conseguem perpetuar uma cultura de agressão. E também como os mais ignorantes estão tão suscetíveis a ser influenciados por esse status quo tão intolerante.

Enfim, é um filme que, além da beleza da história, vale cada centavo do ingresso por sua reflexão social e universalidade.






Título Original: Marvin ou La Belle Éducation

França | 2017 | 115 min. | Drama
Direção: Anne Fontaine
Roteiro: Anne Fontaine, Pierre Trividic
Elenco: Finnegan Oldfield, Grégory Gadebois, Vincent Macaigne
Distribuição: A2 Filmes | Mares Filmes


2 comentários:

  1. Eu sempre sofro com esse tipo de filme.
    Mas é algo que precisamos discutir e falar cada vez mais. Me interesse por esse filme e espero conseguir dar uma chance pra ele em breve <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Oi Enzo, gostei muito da premissa do filme (e do trailer). Vou colocar aqui na minha listinha, quero assistir. Um abraço!

    ResponderExcluir