28 de set de 2015

9o. Paladar Cozinha do Brasil: Você tem fome de quê?

Nos dias 26 e 27 de Setembro, rolou a 9a. Edição do Paladar Cozinha do Brasil, evento criado pelo jornal O Estado de S. Paulo que reune palestras, workshops, degustações e mercado. O assunto principal? Comida! Mas não qualquer tipo de comida. Aqui se fala de Comida de verdade, com letra maiúscula, com respeito, com origem. E isso me encantou por demais.

O Blog foi convidado e nossos corações se encheram de Amor. Primeiro, porque é uma super honra ser lembrado para participar de um evento presença destes e depois porque falamos a mesma língua, nosso paladar degusta da mesma filosofia. Tive o prazer incrível de participar do primeiro dia, de me nutrir de uma palestra linda e verdadeira de Sophie Deram, de participar de um workshop incrível da Nespresso, de conhecer e conversar com cada produtor e de matar as saudades do tempero do querido Rodrigo Oliveira, do Mocotó.

Eu gostaria que este post fosse um diário de um dia incrível, um livro de receitas de tudo que provei e amei, das minhas descobertas. Vamos começar?




1 - Comida não é só Alimento: A palestra incrível de Sophie Deram e Carlos Monteiro

Quando recebi o convite do pessoal do Paladar para participar desta palestra, eu não tinha a dimensão do quanto eu sairia nutrida de informação e de inspiração. O Carlos é um cientista que organizou o Guia Alimentar para a população brasileira, o qual foi reverenciado como melhor guia de alimentação do mundo. E a Sophie é uma nutricionista brasileira e francesa que tem um trabalho incrível para que o mundo e cada pessoa que o habite faça as pazes com a comida. Isso Mesmo!

Pense num bate-papo rico com estes dois expoentes que lutam pela comida de verdade e pela mudança dos hábitos alimentares da população brasileira. Sophie escreveu um livro sensacional chamado O Peso da dieta. Nele se trata da importância de abdicarmos das dietas restritivas, propondo o fim da medicalização alimentar. O que me encantou foi quando ela disse que comemos não só com a boca, mas com os sentimentos. Comida deve ser conforto, deve ser prazer e não devemos abdicar da felicidade que é comer. Pense em quantas refeições fazemos ao dia, na nossa vida. Pense na diferença entre comer um bolo de chocolate com prazer ou abocanhar o mesmo com culpa. Aumentar os alimentos saudáveis em detrimento dos industrializados que consumimos. Comermos com variedade, sem dar uma importância monstruosa às novas descobertas milagrosas. A vida não é feita só de Chia.

Eu me apaixonei pela luta de Sophie e quero muito ler seu livro. Como disse uma vez a Ailin Aleixo, "Comer é um ato político". Sim, devemos nos colocar no mundo comendo melhor, exigindo produtos de qualidade, voltar a fazer nossa própria comida, respeitar os ingredientes que a natureza nos dá, valorizar o trabalho dos produtores e muito mais que isso: Comer com Amor, nos permitindo sentir prazer. Ninguém está dizendo "Se joga no chocolate e no Refri", não. A proposta é a de experimentar respeitando o seu prazer e também seu corpo.

Agora me digam se é ou não inspirador? Obrigada, Sophie. =)




E para saber um pouco mais sobre o Guia Alimentar Para a População Brasileira, clique aqui.


2- A Aula Degustação da Nespresso

Chamou pra tomar um cafézinho, ganhou meu coração. A Nespresso nos convidou para uma aula/ degustação sobre cafés brasileiros e sua harmonização com produtos tipicamente mineiros. Além de conhecermos a História do Café, pudemos aprender como degustar, reconhecer uma boa crema, apurar o olfato para as notas presentes na bebida e descobrir que já foi desenvolvida uma taça para degustação da bebida. Legal, né?




 Mesa posta


 E você sabia que tem uma taça especial para se degustar café?





 Caipirinha de Café com Cachaça: Isto ficou sensacional!





 Durante todo o evento, uma cafeteria da Nespresso serviu cafés e drinks aos participantes. Este foi um café especial feito para mim: Café com leite, meu favorito. Hahahahah


Harmonização de café Origem + Queijo Mineiro + Doce de Leite

3- O Mercado Paladar: conhecendo os produtores

Para mim, um mercado como o que foi montado no evento é essencial. Esta é uma excelente oportunidade para conhecer quem produz tudo aquilo que amamos comer de verdade, de conhecer a história antes do sabor, até porque quando fazemos isso, o sabor ganha outro paladar. Agora vou escrever sobre os melhores lugares que agraciaram:

A) O Açaí Maravilhoso do Nazareno do Point do Açaí

Eu fico encantada com a quantidade de produtos que temos no Brasil e com o sabor incrível que descobrimos quando decidimos prová-los. Me deixa triste como conhecemos pouco, usamos pouco, valorizamos pouco o que a nossa natureza oferece. Eu nunca gostei do Açaí feito em São Paulo. Sempre achei a cor linda, mas o sabor... Mas quando cheguei no Espaço de Nazareno, a primeira coisa que ele fez foi me oferecer Açaí como se come no Pará: Misturado com farinha de Mandioca. Topei! E me apaixonei pelo sabor, textura, verdade que esta mistura nos proporciona. O Nazareno é o cara em terras paraenses. Muito Chef reconhecido vai pra lá aprender com ele. E eu também aprendi um novo sabor. Saí de lá com o coração abraçado pelo Pará e planejando uma viagem de mala vazia pra voltar cheia de comida.









Cacau + Açúcar: Uma mistura deliciosa, prefeita para calda de panquecas, waffles, para comer de colher, para se apaixonar.

B) Os chocolates da Luisa Abram

Luisa estudou e ganhou um livro. Parou na parte em que se falava da produção de chocolates. Feito isto, viajou para o Acre e transformou o quarto de empregada de seu apartamento em cozinha, a menor cozinha do mundo. Luisa ficou famosa por isso, eu a conheci por isso, até... Sábado. Conheci Luisa provando seus chocolates, depois ouvindo a história de que o cacau que os gerou  foi plantado e colhido por ribeirinhos. O chocolate de Luisa tem história, tem paixão, a gente sente isso quando prova. Tem respeito pela natureza e por quem o colhe. Ele é conhecido por Cacau Selvagem. O chocolate de Luisa é arrebatadoramente marcante.

Quando forem falar do Luisa Abram, por favor, respeitam a sua história. A cozinha é só uma passagem. O sabor é eterno.






Contato: Luisa Abram

C)  Piernik da Beza

Beza significa suspiro, em polonês. Duas amigas, uma belga e outra polonesa,  vieram para cá trazer o gosto de suas casas. Quando decidi provar da Beza, provava sua história passional. As meninas me apresentaram  Piernik, o "pão de mel" polonês. Uma explosão de sabor de especiarias, recheado com geléia de damasco e coberto com chocolate belga. O mais puro creme do Amor, o melhor pão de mel que já provei. A marca não possui loja física, mas aceita encomendas.






Contato: Beza Doces


D) A linha Cachacista da Amburana

Conheci a marca no dia do mercado. A simpatia pra mim virou marca registrada. Eles me atualizaram sobre o universo da cachaça e me apresentaram a Cachaça Middas, a famosa bebida misturada ao ouro 23 quilates vindo da Alemanha. Eu poderia dizer que é ostentação, mas ostentação mesmo foi provar uma autêntica Weber Haus com eles. A Marca tem um santuário de cachaças, balas da bebida, geléias incríveis também. Super recomendo.






Contato: Amburana

E) Os doces da Doces da Christy

A marca de Urucânia/MG já está famosa, mas devo dizer que foi com ela que aprendi e conheci o que era uma "Mangada". Gente, que delícia! Não muito doce, perfeita para acompanhar com torradas e até comer de colher. E tudo é feito com 70% da fruta e 30% de açúcar. Temos Goiabada, Bananada e Mangada.





Júlio César, gerente geral,  posando para o nosso Blog. Destaque para estas latinhas da frente. Elas foram criadas com o propósito de serem oferecidas como lembrancinhas em festas e para mimos. Olha, substituem facilmente um bem-casado, por exemplo. Ideia perfeita para inovar num casamento.

Contato: Doces da Christy

F) A Raclette Mineira do Mestre Queijeiro

Saudades de Raclette, aquele tipo de queijo que derretemos para agraciarmos um pão, uma batata. Adoro comer isso. Aprendi com minha amiga Priscila a me entregar a uma boa e maravilhosa Raclette. Ontem foi dia de matar as saudades. E a Raclette mineira do Mestre queijeiro estava afinada em textura e sabor. Recomendo.






G) Tartar de Salmão da Salmón de Chile.

Iniciei os trabalhos provando esta delicinha, fresca, suave, saudável. Salmão, rico em Ômega 3, agente importantíssimo na preservação da memória, na proteção do coração, no cuidado com a pele. Diretamente do Chile para o Brasil, um ingrediente versátil para ser tartar, postas, assado, no ceviche. Amei a receita com laranja e mel. Convite delícia do dia.



4) Mocotó Aqui: Itinerância Nordestina

Meu restaurante brasileiro favorito. O tempero e o amor do chef  Rodrigo Oliveira é um modo de amar os outros. Mocotó tem food truck que tem trilha sonora nordestina, cachaças de respeito, chapéu de forrozeiro pendurado no retrovisor. Tem como não amar e sentir orgulho?




5) Tietagem com a Rita Lobo

Mas foi um desfile de gente que eu gosto, de chefs de restaurantes que eu amo, com trabalhos que admiro e sou fã. Mas a Rita... aprendi a cozinhar com o Panelinha dela. Encontrá-la foi a coroação deste dia.


Obrigada, Paladar. Foi uma experiência sensacional.

"A cozinha é o santuário onde o fogão é meu altar"
( Tia Glorinha, por Chef Paulo Machado)


Nenhum comentário:

Postar um comentário