28 de set de 2015

9o. Paladar Cozinha do Brasil: Você tem fome de quê?

Nos dias 26 e 27 de Setembro, rolou a 9a. Edição do Paladar Cozinha do Brasil, evento criado pelo jornal O Estado de S. Paulo que reune palestras, workshops, degustações e mercado. O assunto principal? Comida! Mas não qualquer tipo de comida. Aqui se fala de Comida de verdade, com letra maiúscula, com respeito, com origem. E isso me encantou por demais.

O Blog foi convidado e nossos corações se encheram de Amor. Primeiro, porque é uma super honra ser lembrado para participar de um evento presença destes e depois porque falamos a mesma língua, nosso paladar degusta da mesma filosofia. Tive o prazer incrível de participar do primeiro dia, de me nutrir de uma palestra linda e verdadeira de Sophie Deram, de participar de um workshop incrível da Nespresso, de conhecer e conversar com cada produtor e de matar as saudades do tempero do querido Rodrigo Oliveira, do Mocotó.

Eu gostaria que este post fosse um diário de um dia incrível, um livro de receitas de tudo que provei e amei, das minhas descobertas. Vamos começar?




1 - Comida não é só Alimento: A palestra incrível de Sophie Deram e Carlos Monteiro

Quando recebi o convite do pessoal do Paladar para participar desta palestra, eu não tinha a dimensão do quanto eu sairia nutrida de informação e de inspiração. O Carlos é um cientista que organizou o Guia Alimentar para a população brasileira, o qual foi reverenciado como melhor guia de alimentação do mundo. E a Sophie é uma nutricionista brasileira e francesa que tem um trabalho incrível para que o mundo e cada pessoa que o habite faça as pazes com a comida. Isso Mesmo!

Pense num bate-papo rico com estes dois expoentes que lutam pela comida de verdade e pela mudança dos hábitos alimentares da população brasileira. Sophie escreveu um livro sensacional chamado O Peso da dieta. Nele se trata da importância de abdicarmos das dietas restritivas, propondo o fim da medicalização alimentar. O que me encantou foi quando ela disse que comemos não só com a boca, mas com os sentimentos. Comida deve ser conforto, deve ser prazer e não devemos abdicar da felicidade que é comer. Pense em quantas refeições fazemos ao dia, na nossa vida. Pense na diferença entre comer um bolo de chocolate com prazer ou abocanhar o mesmo com culpa. Aumentar os alimentos saudáveis em detrimento dos industrializados que consumimos. Comermos com variedade, sem dar uma importância monstruosa às novas descobertas milagrosas. A vida não é feita só de Chia.

Eu me apaixonei pela luta de Sophie e quero muito ler seu livro. Como disse uma vez a Ailin Aleixo, "Comer é um ato político". Sim, devemos nos colocar no mundo comendo melhor, exigindo produtos de qualidade, voltar a fazer nossa própria comida, respeitar os ingredientes que a natureza nos dá, valorizar o trabalho dos produtores e muito mais que isso: Comer com Amor, nos permitindo sentir prazer. Ninguém está dizendo "Se joga no chocolate e no Refri", não. A proposta é a de experimentar respeitando o seu prazer e também seu corpo.

Agora me digam se é ou não inspirador? Obrigada, Sophie. =)




E para saber um pouco mais sobre o Guia Alimentar Para a População Brasileira, clique aqui.


2- A Aula Degustação da Nespresso

Chamou pra tomar um cafézinho, ganhou meu coração. A Nespresso nos convidou para uma aula/ degustação sobre cafés brasileiros e sua harmonização com produtos tipicamente mineiros. Além de conhecermos a História do Café, pudemos aprender como degustar, reconhecer uma boa crema, apurar o olfato para as notas presentes na bebida e descobrir que já foi desenvolvida uma taça para degustação da bebida. Legal, né?

23 de set de 2015

Praga: Da raiz ao mágico

No final do século XIX, uma mocinha arrumava as malas para vir ao Brasil, sozinha. Ainda não sei o real motivo de sua viagem, visto que estas migrações aconteciam ou com homens solitários ou famílias inteiras. Mas ela não, veio só. Tem dias em que me pego pensando no motivo que a levou a se aventurar em terras distantes e de cultura diferente. Ela era Mariana Kruscha, minha bisavó. E eu acho que este amor por cair só no mundo herdei dela. Dois séculos passaram e eu decidi fazer o inverso: Sair do Brasil e conhecer minhas origens na República Tcheca. Não consigo colocar em palavras a emoção de me apaixonar pelas minhas raízes. O sangue clama, é verdade.

E então, eu convido todo mundo a fazer as malas e embarcar comigo na terra de Mariana, aquela que também corre nas minhas veias.




1- O Som de Praga: Bohemia Jazz Festival

Quando cheguei na cidade, fui recebida por um festival de Jazz incrível, o Bohemia Jazz Festival. No verão, todo mundo sai da toca e existem milhares de festivais pela cidade. Ainda por cima, esta era a edição comemorativa do evento que completou 10 anos. E como rola um som destes em Praga? Simples. Palco, alguns beer e food trucks com comida barata de verdade. A galera senta no chão embalada por grandes nomes do cenário do Jazz e deixa o tempo passar. Foi lindo. Não só porque amo o estilo musical, mas porque é de uma paz e inspiração indescritíveis. Fãs de Jazz anotem na agenda: Julho é tempo de Festival!




2- Os sabores de Praga

Se você acha que pode fazer dieta por aqui, esqueça. A república Tcheca é considerada a dona da pior alimentação do mundo. E você pensava que era os EUA, né? A diferença é que os tchecos não são sedentários e, por este motivo, "equilibram" seus hábitos. Então, fui despreocupada pensando em detox só chegando ao Brasil. Se está por lá, porque não provar delícia, né?

A) O mix de pães e embutidos do Hotel Lippert

Gente, é muita comida. Mas, é muito gostoso. Se você colocar uma mostarda escura junto, fechou a delícia. Um prato destes dá pra três pessoas sossegadas e o preço é tipo 3 euros.





B) A batata em espiral da feirinha gastronômica da cidade velha

Eu sei que você já encontra esta batata aqui no Brasil, mas eu a conheci na minha visita à China e Amo. Então, porque colocá-la neste post? Pela curiosidade. Há poucas semanas, visitei um food park aqui em SP e eles estavam vendendo a iguaria a R$ 7. Sabe quanto eu paguei por ela na RT? R$ 0,50. Sim, que diferença, né?




C) Zephyr Pub & Club

Este é um combinado básico tcheco: Linguiça, fritas, uma boa mostarda e tudo acompanhado de uma boa cerveja! Um almoço prático e típico da região. E este Pub é bem bonitinho, além de tradicional na cidade.




D) Bohemia Bagel

Considerado o melhor bagel  da cidade. Cheio de turistas, lugar aconchegante e perfeito para um café da tarde ou da manhã





E) Jujubas da Captain Candy

Pensa numa loja só de jujubas. Esta é a Captain Candy que tem balinhas de tudo quando é jeito e sabor, além de um perfume delicioso no interior da loja. Tem que ir pra voltar a ser criança.




F) Os pães tradicionais: Trdelnik

O Trdelnik é um pão oco de  açúcar com canela que, se você for bem animado no doce, ainda pode rechear de Nutella. Tem quiosques espalhados pela cidade toda e não tem como não provar, pois é quase parada obrigatória para se sentir em Praga.




G) O Hamburguer Divo do James Dean Prague

Porque assim, né gente? Tem horas que as saudades da comida de casa bate forte. Ok, não como hamburgueres todos os dias, mas  comecei a sentir falta de sabores caseiros. Como o arroz com feijão era inexistente e eu pirei neste lugar, decidi postar para vocês. Pensem numa hamburgueria que homenageia James Dean, toda decorada com motivos dele, estrela da fama no chão e jukebox que toca rock 60'. Linda de viver e com um cardápio delicioso. Mas prepare o bolso: Ela é bem carinha. Você vai pagar em torno de 15 euros um burgão com fritas e limonada. Mas vale a visita. =)




H) A caipirinha do Ambiente Brasileiro

O Ambiente Brasileiro é um achado na Cidade Velha. Eles tem caipirinha e... Rodízio de carnes. Tudo ao estilo paulistano de buffet de saladas com sushi e depois carne rodando o salão. Conheci a Ana nesta viagem e a levei para provar Caipirinha. A bebida é correta, mas não sensacional e desistimos do rodízio, pois, sinceramente, ele beirava os R$ 120 e achei um absurdo. Se as saudades de casa for excepcional, você pode dar uma passadinha lá já preparando o bolso.




3- Os cartões postais de Praga

A) Orloj: O relógio astronômico Medieval

Às 21h, uma concentração de pessoas estava em frente ao relógio, parei também. E vi a boniteza de seu funcionamento. Ele tem três matrizes básicas: mostrador astronômico, representando a posição do Sol e da Lua no céu, a caminhada dos apóstolos mostrando o passeio dos mesmos a cada troca de hora e o mostrador - calendário que representa os meses do ano. Ele é lindo.



B) A Cidade Velha

O centro velho de Praga é simplesmente apaixonante. Parece que você está em algum desenho animado medieval. Eu passeava pela cidade, mas sempre terminava meu dia por lá. Eu tinha uma vontade enorme em estar ali, apreciando cada detalhe, cada descoberta, a cultura tcheca.




 C) A Charles Bridge

Esta é a ponte mais famosa da cidade. Ela é aquela que tem vários santos da igreja católica em seu trajeto. Mesmo que você não tenha religião, este lugar te faz refletir e abrir as mãos para uma benção. Passear por ela, apreciar seus artistas de rua, orar diante de um santo. A Charles é especial.





D) O Muro do John Lennon

Quando Lennon morreu, a República Tcheca ainda era anexada à União Soviética. Por este motivo, ícones ocidentais eram proibidos. Mas, os fãs dele decidiram desenhar neste muro em sua homenagem. Mesmo assim, a polícia interveio e apagou. Como protesto pela liberdade de sentir a perda e espalhar amor, os fãs de Lennon começaram a fazer uma infinidade de desenhos. E até hoje, se escreve e se desenha por aqui. Ele é sempre cheio de gente e eu também deixei minha homenagem ao John.







E) A estátua do espírito de Don Giovanni

Mozart tocou aqui e encantou muita gente. Este é uma das personagens que traduziu. Está passando por reformas, mas valeu a foto.






F) Os degraus do Castelo

Sabe aquela cena do Rocky Balboa? Então! Quando terminei de subir tudo isso, fiz a foto. Hahahahahah
Uma mega subida que vale cada degrau, pois o castelo é lindo, os monastérios incríveis e a cidade ali em cima é sensacional.







G) Passeio de barco

Ana E eu fizemos o Cruzeiro e, sinceramente, foi decepcionante. Pouquíssima informação sobre os pontos turísticos vistos da água e 1h de tudo o que você pode conhecer a pé. Mas, se você curte se aventurar, vale a empreitada.





H) Wenceslao´s Square

O palco da Primavera de Praga, período em que se lutava pela redemocratização durante a União Soviética, a Wenceslao´s Square é o lugar em que você encontra não só mobilizações políticas e populares, mas lojas de grandes nomes e o ponto de encontro de vários passeios. Nos dias em que passei lá, presenciei a mobilização pela entrada de imigrantes no país. Foi histórico.







4- Os museus 

Não consigo viajar sem caçar um museu. Visitei dois centros de propagação histórica muito importantes na cidade.

A) A rota judaica

Eu adotei este nome, pois na verdade é o que é. Na sinagoga principal, você encontra um ticket em que pode visitar algumas sinagogas e o museu judaico. Por 6 euros, a catraca é livre. Pede-se apenas aos homens que usem o quipá.





B) Franz Kafka

O mais famoso escritor tcheco tem lugar especial na cidade. É praça, é rua, é estátua, é restaurante  e é museu. O espaço é interessante para conhecer um pouco mais de sua vida e obra.






 5)  A cerveja na República Tcheca

Considerada uma das melhores cervejas do mundo, aqui ela tem holofote. Até porque, a cerveja é mais barata que a água, repito, cerveja é mais barata que a água! Por Praga é possível degustar muita cerveja de qualidade por um preço delicioso. É bem fácil encontrar diversos beer tours pela cidade. Abaixo, algumas de minhas experiências.



A) Stredoveka krcma

Esta é a primeira taverna medieval de Praga. Ela fica nos degraus de subida para o Castelo e toda a decoração é voltada para peles de animais, couro, móveis de madeira e garçons que gritam com você e te dão chicotada com pequenos chicotes. Hahahahah! Sim, é muito louco.

O mais legal é que a comida é ótima, a bebida excelente e você se sente num Game of Thrones. E a conta chega neste crânio aí. Tem que ir.







B) Cervejaria do Monastério

Aqui é possível provar uma infinidade de cervejas. Eu provei uma de cereja e, ao contrário do que imaginava, ela não tinha nada de doce. Era perfeita e leve.





C) Staropramen Brewery Pub: O museu da Cerveja

Parada obrigatória para quem curte degustação de cervejas. Por 90 coroas tchecas,  algo em torno de 15 reais, você pode provar 4 tipos incríveis de cerveja e passear pela história da bebida.





6- A celebração e a despedida

Pouco antes de embarcar, uma de minhas alunas me emprestou um livro para ler durante minhas férias. Ela disse que era para que eu encontrasse magia na vida, pois este é um ingrediente essencial. No meu último dia em Praga, fui recebida com o Hare Krishna Festival, repleto de flores, dança e um carro enorme que passeou pela cidade espalhando amor e celebrando o Verão.

Voltei com aquele orgulho gostoso de ter esta ascendência linda e de ter, antes de tudo, amado Praga.





Nath Triveloni

10 de set de 2015

Viena: Eu Magdas!

Aprendi que em alemão MAGDAS significa "eu gosto". Pensando nisso, eu selecionei todas as coisas Magdas que fizeram desta minha passagem por lá um momento único. Viena é a terra de grandes compositores, da música clássica, do conto de fadas. Tudo muuuuuito arrumadinho e perfeito. E é por esta rota de livro infantil dos sonhos que eu quero que todo mundo embarque. Vamos nessa?








1 - Eu Magdas Comer em Viena!

Pra quem curte a gastronomia alemã, Viena é um prato cheio. Do salgado ao doce, diquinhas deliciosas para alimentar a alma na cidade:

A) Kleines Kaffee

Sim, de novo! Lá fui eu seguir os passos de Jesse e Céline. Aqui, em Before Sunrise, a cigana leu a sorte de Céline. e foi no Kleines que eu fiz minha primeira refeição em Viena e bebi minha primeira cerveja. Pratos rápidos, café, sobremesa. Ele fica na Praça de São Francisco que é muito charmosinha. =)





B) Wiener Schnitzel do Gasthaus zum Reinthaler

Bife à milanesa? Quase! Este é o prato mais típico da Áustria. Um bifinho de vitela empanado e depois frito na manteiga ou banha animal. E acompanhado de batatas. Perfeito, delicioso, sequinho. Morri de amores. E esta é a versão kids! Sim, eles são enormes. =)







C) Baladinha no Alt Wien Kaffee

Este é um dos barzinhos mais alternativos de Viena. Delicioso, repleto de posteres de bandas e festivais. Tinha até banda brasileira. Um chopp bem tirado, uma música boa, dias de poesia e sarais.Tem que ir porque é sensacional.




D) A salsicha com pão do Bitizinger

Um quiosquinho básico, mas que tem uma das melhores salsichas de Viena. Morri de amor, não só pelo preço delícia, mas também pelo sabor preciso. E acompanha pãozinho e cobertura de parmesão, se quiser. Bem fácil de achar. É o quiosque com um coelho enorme em cima. Ele fica em frente ao museu Albertina.







E) A Verdadeira torta Sacher do hotel... Sacher

Não é lá a melhor torta do mundo. Pra mim ela ainda tem a massa muito seca. Mas, receita é receita e tradição é tradição. De todas que provei, a original do Hotel Sacher é a melhor. Além do lugar ser lindo, ele também é beeeeem abarrotado de turistas. Mas vale esperar, viu? e quem vai à viena, conhece o Sacher. =)







F) Um café do Café Mozart.

Outro café divo! E assim, tem que tomar um cafézinho neste lugar lindo, se quiser, peça a torta sacher deles para experimentar também.

G) Um almocinho light com direito à apfelstrudel do TIAN Bistrô

Chega um momento em que o corpo pede uma leveza de alimentos. E eu tive a sorte de conhecer a cozinha leve do TIAN Bistrô, com inspiração vegana, ele serve pratos gostosos, pizzas de massa fininha e uma deliciosa apfelstrudel. Sabe aquele dia de detox com sabor gostoso? Minha dica é este lugar.






H) O maravilhoso Naschmarket

Eu amo Mercadão e feira de rua. Por isso, o NaschMarket foi amor à primeira vista. Imagine um mercado a céu aberto onde além de se provar cada coisa das barracas você ainda bebe vinho e ouve jazz. Vá não só para conhecer, mas também para um café da manhã delícia ou um almocinho gostoso. Morri de amores.









I) Os waffers da Mammer

Uma marca austríaca fofíssima que faz aqueles considerados os melhores waffers da Europa. Gostei do gosto não tão marcante de açúcar na receita, mas achei um pouco seco. Minha dica é o de limão. =)








2- Eu Magdas museus

Amo visitar museus, por isso, me encantei tanto por Viena. A cidade tem dois museus que para mim se tornaram grandes preferidos da minha listinha pelo mundo.

A) Albertina

Para quem curte arte moderna, para quem gosta de arte contemporânea. Para os mais descolados que pegam um cineminha com foco em arte. O Albertina que abriga não só modernidade, mas relíquias de seus reis. Um disparate de beleza em que convive o velho e o moço. Me apaixonei. Ele traz a história. ele faz a História.





B) Belvedere

Aqui, o Beijo do Klimt me fez chorar. Além de ser um lugar lindíssimo, ele abriga grandes obras da história da Arte. Não pode se fortografar por dentro, mas sua área externa é de encher os olhos.







C) Museu da paz

Não consegui entrar, mas fica minha dica de algo que achei genial.Como nunca pensamos nisso antes? Reunir todos aqueles que lutaram ou tornaram-se símbolos da paz. Lindo, importante e enriquecedor.







3- Eu magdas Schönbrunn

Eu acho palácio uma coisa muito chata, confesso. Quando visitei Versailles, me encantei foi com a área externa que tem tipo uma "fazendinha" com ovelhas e pastagens. Achei lindo. Por vezes, palácios beiram o excesso para mim. Mas qual foi minha surpresa em Viena? Me apaixonar pelo Schönbrunn. Por fora ele não diz o que realmente é. Ok, foi inspirado em Versailles, mas gente! É de uma elegância e sofisticação. Tem o "quarto Azul" que pra mim eu poderia morar fácil ali. Parada obrigatória não só para entender a linha do tempo histórica da coroa austríaca, mas para se encantar com tanta beleza.






4- Eu magdas Parques 

A) Burggarten

Eu sou a "Maria PicNic". Adoro um parque, aquela delícia de ficar só contemplando, lendo um livro, relaxando, enfim. No Burggarten é assim. Cheguei na hora da happy hour, galera saindo do trabalho e se refestelando na grama. Não tive dúvidas. Tirei os sapatos e me joguei por lá também. =)
Aqui é o lugar em você encontra várias estátuas de compositores e escritores famosos. O parque é lindo.





B) Prates

A famosa roda gigante, um espaço imenso para se pedalar, correr e... Um parque de diversões tipo Hopi Hari. Achei bem legal, vira paraíso para a criançada.







5- Eu magdas arquitetura: Hundertwasser

Nas minhas pesquisas sobre Viena, encontrei esta que é conhecida como "A casa do Gaudí". Na realidade, a Hundertwasser é sim um prédio de moradia. Mas claro que esta arquitetura deslumbrante vira ponto turístico. No térreo, um espaço para exposições independentes e um café maneiríssimo. Se você curte arquitetura, tem que ir.





6- Eu Magdas igreja

Eu amo templos! Quem acompanha o Blog já cansou de ouvir isso. Esta é a igreja de São Estevão. Ela é tipo um marco zero na cidade. Tem uma estação de metrô em frente e fica na região em que é mega comercial. Lojas famosinhas você encontra por aqui.
Me apaixonei por esta igreja, porque ela tem sim algo mágico. Dependendo do lugar que você a observa, descobre um detalhe novo.  Quem é que não chega ao céu com tanta belezura?










7- Eu magdas compras!

Você vai encontrar milhares de lojas famosas por aqui, mas eu tenho que dar destaque à Bipa. Ela é tipo um mega Ikesaki. A diferença é que você encontra aquelas marcas mega caras de cosméticos que amamos por um preço delicioso. Além disso, o atendimento é muito querido. A água da Europa detonou meu cabelo vermelhão e depois da minha tentativa frustrada de explicar para um homem na farmácia que queria algo pra salvar meu liso fogo perfeito, encontrei uma senhorinha chiquérrima que me levou até a loja e eu pirei!!!! Investimento perfeito. E tem várias unidades pela cidade.




8- Eu Magdas Greeter

Minha primeira passagem pela Europa teve a dica mágica da doroty Priscila sobre uma comunidade de pessoas que, voluntariamente, recebiam turistas para um passeio de 2 horas. Então eu experimentei pela primeira vez o que era ter um greeter, um anfittrião que, a partir de uma lista de coisas que eu gostaria de fazer em sua cidade me conduziria às novas descobertas. Viciei nisso e, inclusive, já fui greeter aqui em São Paulo. Nesta minha nova viagem européia, procurei alguns greeters e descobri que em Viena tinha esta comunidade há pouquíssimos meses. Me inscrevi e dois dias depois me avisaram que assim que possível entrariam em contato. E a Anni decidiu ser minha greeter. Conversamos sobre alguns lugares que eu gostaria de conhecer e ficamos muito amigas, tanto que nosso greeter durou dois dias. =)

Super indico a experiência. =)








9- Eu Magdas Hotel

Não tem como escrever, falar, mostrar isso sem me emocionar. Ir pra Viena tinha um único objetivo: Conhecer o Magdas Hotel. Por conta  do meu trabalho com refugiados do mundo todo que chegam ao Brasil, meu coordenador me apresentou a proposta e eu pirei. Com a incrível ajuda da Anni, passei o dia com Sebastiaan, gerente do hotel, me mostrando como funciona.

Quase todo o quadro de funcionários do Magdas é de refugiados. Quando recebem o refúgio na Áustria, eles demoraram a refazer a vida, a ter trabalho. Tudo por conta da falta de formação, do domínio da língua, dos padrões austríacos que não preenchem. Pensando nisso, uma força tarefa da Cáritas com várias empresas criou o Hotel. Os refugiados chegam e aprendem alemão e tarefas básicas de um hotel.

Toda a decoração é pensada junto com eles. A foto abaixo é da entrada. Ao invés de imagens de paisagem, malas e as fotos dos refugiados que ali trabalham. Não consigo descrever a boniteza disso tudo. Sebastiaan me ensinou que "Magdas", em alemão, significa "Eu gosto". Eu amei a experiência.







10- Magdas