29 de ago de 2015

Como chegar em Huilo-Huilo

Para quem acompanha nosso Instagram já sabe que recentemente fui para o Chile, foi minha segunda vez por lá e mais uma vez voltei de lá maravilhada! Na minha outra viagem ao Chile (para Pucon) fiquei tão encantada com o sul do país que resolvi voltar a visitar outros lugares por lá, foi quando em meio a pesquisas descobri Huilo-Huilo.

Foi amor na primeira "pinada" e de lá para cá muitos outros pins me deixaram com mais vontade ainda de conhecer esse lugar. Vou fazer alguns posts sobre o lugar,  de como chegar, onde se hospedar, que passeios fazer, onde comer e espero facilitar a vida de quem também deseja conhecer lugar que mais parece ter saído de dentro de um livro de contos de fadas. Como prova disso, confiram o vídeo abaixo, é um pouco do que captamos da viagem: eu, Clarinha e Enzo :)


Como chegar em Huilo-Huilo
Huilo-Huilo é uma reserva biológica em meio a selva patogônica  e fica na pequena cidade de Neltume, por ser pequena ela não possui aeroporto, o mais próximo de lá fica em Temuco. Foi meio complicado conseguir informações de como chegar lá pela internet e por isso acho que esse post pode ser útil para vocês.

Para chegar em Huilo-Huilo existem algumas maneiras:



1. O jeito mais rápido e caro
- Pegar um voo direto do Brasil para Temuco e de lá pegar um ônibus (ou táxi) para Panguipuli e de lá pegar outro ônibus para Neltume, ou se preferir pedir um transfer no hotel que você irá se hospedar, o que não deve ser muito barato.

2. O jeito mais ou menos caro
- Ir até Santiago, pegar um voo até Temuco e de lá fazer o mesmo da opção anterior.

3. O jeito mais barato (e minha escolha)
- Pegar um voo até Santiago, pegar um ônibus (ou táxi) do aeroporto até a Rodoviária Alameda e de lá pegar um ônibus até Neltume.

Relevem minha cara de sono hehehe

Vou explicar essa última opção com mais detalhes, pois foi a que eu fiz.

A opção 1 e 2 são boas por que se você sair cedinho de SP, chega no início da noite em Neltume, porém você irá chegar, comer algo, dormir e aproveitar apenas no dia seguinte.

Já na opcão 3, você sai de SP em um dia e chega em Neltume no dia seguinte bem cedinho, podendo aproveitar o mesmo tempo que nas opções 1 e 2, e economizando um diária no hotel ;) #sesentindovitoriosa

Chegando no aeroporto de Santiago existem várias plaquinhas de sinalização indicando de onde saem os ônibus, é só pegar o ônibus que passa pelo Terminal Alameda e pronto. Não são nem 2mil pesos :)

Antes de sair de SP, já havíamos pesquisado qual empresa de ônibus vai até Neltume e fomos direto ao seu guichê. A empresa se chama Tepual e o guichê é o 54. Compramos a passagem por 14 mil pesos, para o próximo ônibus, que sairia por volta das 20h e chegaria em Neltume por volta das 8h.

Teríamos que esperar algumas horas até às 20h, mas demos sorte e chegamos no Chile no dia da Final da Copa América, a partida seria entre o Chile e a Argentina, e não preciso nem dizer para quem estavámos torcendo, né?! Sendo assim já tínhamos programação enquanto esperávamos o ônibus, ver o jogo na praça de alimentação da estação, comer e passear pelas lojinhas do terminal.

O Chile ganhou o jogo e não havia maneira melhor de sermos recepcionados! Pulamos e gritamos como se fosse copa do mundo (acho que os chilenos ficaram se perguntando "pq esses gringos estão tão felizes que ganhamos?").  Acho que o nosso grito engasgado da copa se soltou lá, e achei ótimo, pois amo aquele país e as pessoas que encontrei por lá <3 (quem me segue no insta pode ver o vídeo com a gritaria no dia do jogo rs).

Agora era hora de pegar nosso ônibus, dormir algumas horinhas e chegar em Neltume.

De Santiago até Neltume são  cerca de 10 horas de viagem, mas num ônibus mil vezes mais confortável que um avião. Cadeiras reclináveis, apoio para os pés, cobertor, travesseiro, TV, café, banheiro e lanchinho (e um comissário de bordo). A prova de que é uma viagem de ônibus é tranquila é a Clarinha, que mesmo sendo criança, adorou e dormiu a noite toda :)



Já havíamos avisado no hostel que chegaríamos por lá nesse horário, o que não sabíamos é que no inverno o Chile só amanhece às 9h, e quando chegamos em Neltume (por voltas da 8:30h), o escuro era tanto que pensamos que nossos relógios estavam com as horas erradas devido o frio ou fuso-horário, mas a hora estava certa mesmo rs

O ponto final do ônibus é na avenida principal da cidade, a mesma avenida do nosso hostel, cerca de 100mts de distância mais ou menos.

Tocamos a campainha em meio àquela escuridão com medo de estarmos acordando o pessoal, mas a dona do hostel já estava nos aguardando e preparando o nosso primeiro café da manhã. Guardamos nossas malas e enquanto o café ficava pronto folheamos os guias e mapas da região para começar a turistar.



Continua...










18 de ago de 2015

Playlist do Dia - Música Brasileira das Antigas

Faz tempo que não falamos de música por aqui, não é? Hoje a dica é mais uma playlist do Jazz And Blues Experience, e dessa vez só com músicas do nosso Brasil adorado, que apesar dos pesares, possui uma cultura linda que merece ser apreciada não só por nós, mas pelo mundo todo.

Dê o play e nos conte o que achou!



Confira o tracklist abaixo:
00:00 - Antonio Carlos Jobim - One Note Samba
03:20 - Joao Gilberto - Corcovado
05:14 - Herbie Man - Once I loved
07:50 - Joao Gilberto - Doralice
09:15 - Joao Gilberto - O Pato
11:10 - Stan Getz - Desafinado
17:02 - Dorival Caymmi - Eu Nao Tenho onde Morar
19:22 - Sylvia Telles - Dindi
21:56 - Laurindo Almeida - Tocata
26:40 - Carlos Lyra - Maria Ninguem
29:34 - Flavio Farria - Wave
33:47 - Sergio Mendes - Outra Vez
36:10 - Stan Getz - Manha de Carnaval
41:58 - Luiz Bonfa - Samba de Orfeu
44:02 - Stan Getz - Chega de Saudade
48:14 - Luis Eça - Aquarela do Brazil
50:48 - Carlos Lyra - Voce e Eu
51:48 - Joao Gilberto - Discussao
53:36 - Os Cariocas - Zelao
56:26 - Carlos Lyra - Coisa Mais Linda
57:54 - Agostinho dos Santos - A Felicidade
01:00:35 – Maysa - Meditacao
01:03:30 - Joao Gilberto - Meditacao
01:05:14 - Sylvia Telles - Fotografia
01:07:56 - Eliseth Cardoso - Outra Vez
01:09:50 - Joao Gilberto - So Em Teus Bracos
01:11:37 - Dorival Caymmi - Rosa Morena
01:13:56 - Dorival Caymmi - Acontece Que Eu Sou Baiano
01:16:13 - Luiz Bonfa - Manha de Carnaval
01:19:15 - Luiz Bonfa - Passeio no Rio
01:21:06 - Bud Shank & Laurindo Almeida - Nocturno
01:24:38 - Flavio Faria - Essa Moca Ta Differente
01:28:00 - Stan Getz - Baia
01:34:40 - Lucio Alves - Lamento Non Morro
01:37:14 - Carlos Lyra - Cancao do Olhar Amado
01:39:44 - Sylvia Telles - Samba de Uma Nota So
01:42:01 - Joao Gilberto - Trevo de Quatro Folhas
01:43:23 - Tamba Trio - Desafinado
01:46:06 - Baden Powell - Do Jetto Que a Gente Quer
01:48:41 - Lucio Alves - Samba Triste
01:51:17 - Sergio Mendes - Tristeza de Nos Dois
01:53:29 - Sonia Delfino - O Barquinho
01:55:40 - Sylvia Telles - Se e Tarde Me Perdoa
01:57:22 - Joao Gilberto - Amor Certinho
01:59:13 - Baden Powell - Improviso Em Bossa Nova
02:01:19 - Flavio Faria - Aquarela do Brazil
02:05:00 - Carlos Lyra - Quem Quiser Encontrar O Amor
02:06:57 - Joao Gilberto - Um Abraco No Bonfa
02:08:33 - Stan Getz - Balanco No Samba
02:11:32 - Dorival Caymmi - Eu Nao Tenho Onde Morar
02:13:52 - Eliseth Cardoso - Caminho de Pedra
02:16:36 - Sergio Ricardo - Pernas
02:18:34 - Agostinho dos Santos - Dindi
02:21:11 – Maciel - O Nossor Amor
02:23:34 - Os Cariocas - Criticando
02:26:37 - Agostinho dos Santos - O Amor Em Paz
02:29:26 - Joao Gilberto - Insensatez
02:31:49 - Carlos Lyra - Nada Como Ter Amor
02:33:34 - Tamba Trio - Nos E O Mar
02:35:48 - Sylvia Telles - Corcovado


10 de ago de 2015

Budapest! - Vem cantar "Adubiron" com a gente!

Para viajar com a gente para Budapest, você só precisa cantar Adubiron.

Conheci George Ezra durante um daqueles passeios de ônibus que você coloca o fone e vai ouvindo coisas sobre a cidade. Dancei e cantei muito esta música por lá junto com tantos outros gringos. E claro, o final da frase era sempre uma festa. Cada um cantava de um jeito, cada país tem o próprio Ezra. Da mesma forma que "cantando de biquini sem parar" é comum por aqui, "I’d leave it all" pode ser traduzido, entre outras coisas, como "Adubiron" no português do Brasil. Já para os italianos, é tipo um uma nota tocada no baixo. Sensacional, né?rs

Bom, agora que você já deixou este som que eu amo rolar por aí, vou te contar o que esta cidade fez comigo: Sabe amor à primeira vista? Foi isso. Saí correndo para amá-la. Não é porque todo mundo anda de bicicleta, porque tudo tem uma história incrível para contar, porque ela se reergueu depois de ter sido 80% destruída pelos nazistas. É porque diante de tanta lenda com história de bruxa e sobrevivência, com gosto de páprica, com George Ezra cantando que deixaria tudo e com aquele Danúbio infinito cortando a cidade entre o velho e o moço é impossível não se sentir vivo. Budapest sorria pra mim, era isso que significava.






1- O gosto de Budapest

Budapest tem gosto de páprica. Em qualquer lugar que você for, vai sentir o tempero. Além disso, não podemos esquecer do famoso Goulash, prato obrigatório para se provar por aqui. Agora, aprendi algo sobre a cidade: Não fuja dos restôs turísticos. Sim, desta vez, eu te indico o contrário. Os lugares mais rústicos e charmosinhos que não têm tanta fama amam enfiar a faca em turista. Por isso, siga estas dicas.

A) Great Market Hall

Sabe o Mercadão de Sampa? Então. Repleto de bancas, aqui você encontra desde queijos e embutidos húngaros até bebidas e quitutes feitos de maconha. Sim, é verdade. Aqui também, além da arquitetura maravilhosa você pode comprar souvenir da cidade. O preço é honesto e são lindos. Reserve uma refeição para aproveitar o local.







 B) Centrál Kaveház

Eu sou viciada em café. Por este motivo, provo todos os que encontro pela frente, mas nem todos ganham meu coração. Dito isto, posso garantir que este é o melhor café que já provei na vida. Sem falar que é um marco na cidade. E para coroar o lugar lindo em que você toma seu cafézinho ao som de um pianista tocando Sinatra, o atendimento é impecável.






C) New York Café

Considerado o café mais bonito do mundo, o NY é um daqueles lugares mágicos. Repleto de turistas que optam ou pelo café da manhã ou por simplesmente tomar qualquer coisa neste lugar lindo, é outra parada obrigatória de sabor sensacional e serviço impecável.







D) A Dobos torta do café Parizi na Livraria Alexandra

Esta é uma das sobremesas mais famosas de Budapest: A torta Dobos. Ela é tipo um bolo com recheio de mousse de chocolate e com este caramelo por cima. Confesso que achei meio sequinha, mas não deixou de ser gostosa. Agora, ela fica muito mais especial servida neste café que fica na parte superior da livraria Alexandra. O lugar é praticamente uma pintura renascentista. Ele é lindo demais. Tem gente que sobe as escadas apenas para ver o Café. Duas dicas preciosas de lugares para uma excelente leitura e um café da tarde inesquecível.






E) O cardápio de inspiração judaica do Kazimír

Este restô fica no bairro judaico da cidade. Além de muita cultura judaica, aqui você encontra os melhores bares e baladas de Budapest. Como fiz um passeio por lá, meus companheiros e eu decidimos por um almoço neste lugar que é considerado o melhor da região. Nem todo o cardápio é judaico. No dia, optei por um franguinho grelhado com cobertura de brie e purê de batatas. Além da apresentação linda, definitivamente saboroso... e calórico. Impossível comer coisas light nesta cidade. Aqui rola um clima tranquilão, com horta vertical e um rockzinho básico na vitrola.






F) A limonada caseira do Prosit Borbár

Este bar fica no Akvárium Klub  da cidade. E ele é uma delicinha, pois é bem contemporâneo, com cozinha internacional e atendimento atencioso. O preço também é bem ok. E aqui em Budapest, para além de outras bebidas, aprendi a apreciar uma boa limonada caseira. Basicamente, é feita de limão siciliano, menta e água gaseificada. Nos dias de calor, é uma excelente pedida a famosa Kis pohár dos húngaros.







2- Budapest: a cidade que respira História.

O que mais amei em Budapest foi a forma como ela vive sua História que nem sempre foi coroada por conquistas.Então, separei alguns lugares para vocês vivenciarem isso comigo:

A) Citadella

Citadella é uma fortaleza construída para proteger a cidade. Na idade Média, reza a lenda que aqui era o lugar onde as bruxas moravam, tanto que há pouquíssimo tempo, ela começou a ser habitada por mansões, pois as pessoas tinham uma espécie de medo de prováveis magias.

Mas nem só de conto de fadas este que se firmou como o meu lugar favorito da cidade vive. Em 1944, Citadella foi tomada pelos nazistas. Ponto estratégico para dominação da Hungria, o país protagonizou um dos piores massacres nazistas da época. Como dito anteriormente, 80% da cidade foi destruída. Milhares de húngaros morreram e a resistência dos povos Magiares foi incrivelmente brava. Até hoje, é possível ver a marca de bala nas paredes dela. E como marco de tantas sobrevivências, a cidade também tem uma estátua  da Liberdade. Na Citadella existe o mais belo mirante para apreciar a vista.








B) Casa do terror

A Terror Háza é parada obrigatória para se conhecer dois períodos históricos marcantes na vida húngara: o Nazismo e o Socialismo.
Esta prisão que hoje é um museu, era como o nosso antigo Departamento de Ordem Política e Social durante a ditadura. Ela era conhecido como "A casa da lealdade". Aqui foram presos os opositores das práticas socialistas e  nazistas.

É possível assistir a vídeos com depoimentos de ex-prisioneiros e seus familiares, encontrar relíquias de guerra e visitar as celas. O conteúdo é bem chocante e também está disponível em inglês, ou pelo audio guide ou por papéis disponíveis em cada cômodo que se é visitado. Fotos não são permitidas.










C) Memorial dos sapatos

Existe um silêncio ensurdecedor neste lugar.Às margens do Danúbio, judeus eram mortos a tiros e seus corpos atirados ao rio. Por conta deste episódio, 60 pares de sapatos foram confeccionados em bronze e ferro e colocados no local do extermínio.







3-  Cartão postal

A) Parlamento

O prédio do parlamento é simplesmente lindo. Aliás, a região é muito bonita. Ele fica pertinho do Memorial dos sapatos e, para quem curte visitar interiores, é possível adentrar seus enormes portões e contemplar sua guarda que, sinceramente, é tão concentrada que parece parte integrante do museu de cera. =)




B) Mathias Church

Que eu amo visitar templos não é novidade para quem acompanha o blog. E dentre todas as igrejas do mundo, o interiror do Mosteiro de São Bento de SP para mim é indiscutivelmente o mais bonito. Agora, eu nunca me emocionei tanto em olhar uma igreja e contemplar tanta lindeza. Ela é de encher os olhos e a alma.







C) Ilha Margareth

Cheguei à ilha através de um cruzeiro pelo Danúbio. E ela é uma preciosidade escondidinha dentre tantas belezas de Budapest. Aqui existem estas praças com fontes que cantam músicas clássicas, além de pista de corrida, ciclovia e centros de treinamento de alguns times de futebol da cidade e outras modalidades esportivas. Elá é linda. Ótima pedida para um almocinho beira rio, já que existem vários restaurantes e bares que margeiam o Danúbio.






D) Heroes` Square

Acolhida como patrimônio da Humanidade pela UNESCO, a praça dos heróis é única. Ela já foi palco de grandes manifestações e transformações históricas da cidade. Aqui também é o ponto de encontro de vários passeios disponíveis.





E) Andrassy

Tenho a mania de escolher palavras num idioma novo que eu me depare. Definitivamente, adoro a sonoridade de Andrassy, leia-se Andráxi. Esta é considerada a 5. Avenida de Budapest. Ampla e repleta de lojas de grifes, este é um centro de compras bem frequentado por turistas.






4- Free Walking tour: Adoro!

Minha primeira experiência com Free Walking tour foi em Berlin. Desde então, eu adoto a prática em todas minhas viagens e na minha querida Sampa, na qual já fiz alguns e amei. Como funciona? Basta escolher um tema e então, um grupo se encontrará num local específico com um guia que contará a história de cada pedacinho do trajeto. No final, você colabora com a quantia de dinheiro que achar que valeu o tour. Para variar, Budapest tem várias empresas e, obviamente, todas tem os mesmos passeios. Escolhi fazer o passeio pelo bairro judaico. Neste trajeto, você não só conhece um pouco da cultura judaica fortíssima na cidade ( Aqui está localizada a segunda maior sinagoga do mundo) como conhece o "fervo" húngaro. É neste bairro que estão localizados os melhores bares da cidade e o melhor bar do mundo. Mas lembre-se: Sábado é dia sagrado para os judeus, dito isto, escolha os outros dias. Além de várias sinagogas estarem fechadas para visitação, o aglomerado de pessoas é um  incomodo para os ortodoxos. Respeitemos.









5- Temos o melhor bar do mundo

No gancho do bairro judaico, existe uma região chamada  ruínas bar. Aqui estão os bares da cidade que tem uma programação noturna sensacional. Mas, nossos olhos se voltarão para o Szimpla Kert. Considerado o melhor bar do mundo, posso lhe garantir que ele é incrível. Imagine a Rua Augusta dentro de um bar. Pois então. O Szimpla é tipo um mini centro cultural. Ali você encontra feirinha de artesãos, inúmeras intervenções artísticas, shows e muito mais. Não tem desculpa, tem que ir.








6- Turistando

Esta última dica é para quem curti fazer umas turistadas.

A) ICEBAR

Há um tempo eu queria ter a experiência de estar num bar feito de gelo. Se eu fiquei 15 minutos lá foi muito. Como eu estava sozinha, não tinha muita interação, né? E passar muito frio não é lá tão atrativo. Por cerca de 8 euros, você pode entrar e ganhar um drink à sua escolha. O tempo de permanência é livre e eles oferecem poncho térmico e luvas para o visitante.







B) Aquarium

A piscina no meio da cidade, disponível para refrescar os pezinhos durante Happy Hour ou num momento relax. Assim esperamos o Verão.






C) Bebendo Budapest

A Hungria tem um paladar finíssimo para bebidas. Aqui a produção de vinho tem 200 anos e é elogiadíssima. Além disso, a cerveja também é deliciosa e artesanal. Beber budapest é participar de sua história.








Foi ótimo viajar de novo com vocês.

"My house in Budapest
My hidden treasure chest
Golden grand piano
My beautiful castillo

You
Oohyou
Ooh I'd leave it all"